quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

O que as pessoas comem no Ano-Novo ao redor do mundo? #2

Em nosso site você já viu as melhores matérias sobre o Ano-Novo, desde como outros países comemoram ele, até curiosidades sobre a data e como ela passou a existir, mas esse ano nós vamos lhe mostrar mais um pouco do que as pessoas ao redor do mundo comem na ceia desse dia especial.

Começando na Espanha nós temos uvas, mais precisamente 12 delas. O país tem uma tradição de comer 12 uvas com as 12 badaladas de um sino a meia-noite. Eles acreditam que se você conseguir comer elas a tempo você atrairá sorte para o ano seguinte. Por isso essas frutinhas sempre fazem parte da ceia de réveillon espanhola, principalmente em Puerta del Sol, Madrid, onde a tradição é mais forte.

Já no México nós temos os famosos Tamales, que é uma massa de milho recheada com carne, queijo ou qualquer recheio de sua escolha e envolta em uma folha de bananeira ou casca de milho.
Na verdade esse prato faz aparições em praticamente todas as ocasiões especiais no México, do Dia dos Mortos a aniversários, eles usam qualquer desculpa para comer os seus deliciosos tamales. 

A Áustria e sua vizinha Alemanha chamam a véspera de Ano Novo de Sylvesterabend, ou em nossa língua, Véspera de São Silvestre. Os foliões austríacos bebem um ponche de vinho tinto com canela e temperos, comem leitão no jantar e enfeitam a mesa com porquinhos de maçapão, chamados marzipanschwein. E também temos os glücksschwein, que são "porquinhos da sorte" feitos de vários ingredientes diferentes, mas comumente doces.

O Bolo-Rei foi feito originalmente para ser consumido no festival cristão da Epifania, a festa que comemora principalmente (mas não exclusivamente) a visita dos Reis Magos ao Menino Jesus. Mas o doce acabou se espalhando para outros feriados, incluindo o réveillon, Natal e o mardi gras.
O bolo é feito com vários ingredientes diferentes, sendo no fim apenas um bolo comum recheado e decorado.

Em Belarus as tradição de Ano-novo foram inspiradas pelas tradições da União Soviética, e como a União sofria com pobreza, a ceia de Ano-novo é muito simples, ela é composta principalmente de saladas, pratos quentes e sobremesas comuns.
Um prato quente, ou hotdish no original, é um prato que normalmente contém um amido, uma carne e um vegetal enlatado ou congelado misturado com sopa enlatada.

Alguns estonianos comem sete, nove ou até mesmo 12 refeições na véspera do Ano Novo, acreditando que a cada refeição feita, eles ganharão a força de tantos homens no ano seguinte. Parte de cada refeição, porém, fica sem ser comida, para os espíritos dos ancestrais que visitam a casa na véspera do Ano Novo possam "comer" os restos.
Seus pratos normalmente são compostos de várias carnes, vegetais e sopas. De sobremesa temos pães e bolos, e para acompanhar eles bebem sucos ou cerveja.

Para os franceses o prato principal é o peru assado ou ganso assado. Como acompanhamento eles gostam de ostras e do polêmico foie gras, que é o fígado de um ganso ou pato que foi forçosamente alimentado e torturado até a exaustão, o que leva à hipertrofia lipídica do órgão. E para beber eles gostam de champanhe, muito usado em comemorações no país.

Conheça o Faloodeh, uma sobremesa fria tradicional iraniana nem um pouco semelhante a um sorvete brasileiro. O prato consiste em macarrão fino feito de amido em um xarope semi-congelado contendo açúcar e água de rosas. O Faloodeh é frequentemente servido com suco de limão e às vezes pistache moído, principalmente no Noruz, uma festa tradicional da Ásia Central que celebra o Ano Novo do calendário persa.

Na China nós temos o Guiza, essa sobremesa consiste tipicamente de um recheio de carne moída e/ou de legumes dentro de um fino invólucro de massa, essa massa é então "selada" através da pressão em suas extremidades e cozida ou frita.
É comum que nessa data em particular eles façam esses pratos em formato redondo, para que o prato fique parecido com o formato de moedas chinesas antigas, o que, segundo os locais, atrairia boa sorte e dinheiro no ano seguinte.

Em Cuba nós temos o leitão assado, que é girado lentamente sobre o fogo até ele ficar bem suculento.
O que acontece é que os cubanos acreditam que o porco representa boa-sorte, fortuna e saúde, por isso comer ele virou tradição em quase todas as datas especiais, incluindo também o Natal.

Black Bun e Whisky, isso é tudo que os irlandeses precisam pra comemorar o fim de ano. O Black Bun, ou pão negro, é (ironicamente) um tipo de bolo de frutas completamente coberto com massa, ele é de origem escocesa, originalmente comido na Noite de Reis, mas agora apreciado no Hogmanay, o ano-novo escocês. Já para beber, como não podia deixar de ser, tem muito whisky, a bebida nacional da Irlanda.
Segundo a tradição local o whisky representa um bom ano, e o pão preto, um ano sem fome, o que é especial para os escoceses já que o país sofreu muito com a fome e desnutrição no passado. Para completar eles usam um carvão, que simboliza energia para o próximo ano.


O povo judeu comemora o Rosh Hashanah, que é basicamente o ano-novo judeu. Nessa data eles comem muito Chalá, que é um pão trançado muito consumido no Shabat e nas festas judaicas, excluindo a festa de Pessach. Depois temos peixes, cuscuz de vegetais, pães de mel, maçãs com mel e tâmaras.
Acredita-se que eles gostem de comer maçãs nessa data porque maçãs são fáceis de crescer em qualquer clima, por isso mesmo quando judeus eram expulsos de suas terras eles podiam plantar maçãs onde quer que eles fossem.

Como existem mais de 562 tribos nativo americanas nos E.U.A, é impossível dizer qual é o "prato nativo americano" que representa o ano novo. Mesmo assim sabe-se que uma boa parte delas comiam nessa data apenas coisas encontradas na natureza ou plantadas por eles, isso inclui várias frutas, aipo selvagem, huckleberries e raízes amargas. Isso porque muitos deles acreditam que seus ancestrais enterrados tomam conta das novas gerações ao fazer a comida crescer do chão. Como prato principal temos várias carnes, principalmente de veados, peixes, saladas e ensopados também são feitos. 

Para os budistas nós temos o prato muito bem nomeado Delícia de Buda. O prato é na verdade tradicionalmente consumido por monges budistas, que são vegetarianos, mas também tem ganhado popularidade em todo o mundo como uma receita vegetariana disponível em restaurantes chineses. O prato em si consiste em diversas verduras e outros ingredientes vegetarianos (e às vezes mariscos e ovo), que são cozinhados em molho de soja com outros condimentos até que estejam macios.

E os muçulmanos tem vários pratos nessa data, incluindo o Doodh ka Sharbat, um tipo de milk-shake muçulmano, Zarda, arroz amarelo doce, pudim de arroz, Rasmalai, uma sobremesa popular feita de queijo cottage embebido em leite adocicado e engrossado com aroma de cardamomo. Frutas secas são adicionadas à sobremesa para torná-la rica em sabor.
E como prato principal nós temos a galinha, incluindo o kebab de frango, basicamente um espetinho de galinha, e o Haleem de frango, que é um ensopado composto de carne, lentilhas e trigo triturado, transformados em uma pasta grossa.

Esperamos que você tenha gostado da matéria, se a resposta for sim que tal você visitar a nossa página oficial, deixar a sua curtida, ativar as nossas notificações e ler mais matérias interessantes e curiosas todos os dias?

Nenhum comentário:

Postar um comentário