quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Conheça os ancestrais de alguns animais modernos

Você já deve saber agora que nossos ancestrais eram bem diferentes de nós humanos modernos não é mesmo? Mas e quanto aos ancestrais de alguns animais modernos, será que eles eram parecidos ou diferentes de seus descendentes? Pois você vai conhecer eles agora mesmo.

Vamos começar com os crocodilos e jacarés, antes deles existirem nós tínhamos os Deinosuchus, que viveram no período Cretáceo na América do Norte. Apenas sua mordida chegava a 15 toneladas de pressão, seu corpo podia chegar a medir 10 m de comprimento com um peso total de 6,5 toneladas. Ele era tão grande que atacava dinossauros igual crocodilos modernos atacam gazelas.

Acredite ou não é possível que nossas galinhas sejam descendentes modernas dos famosos Tiranossauros Rex. Na idade adulta um T. Rex podia atingir cerca de 4 metros de altura e 12 metros de comprimento, apenas seu crânio podia passar de 1,4 metro, e sua massa podia passar de 8 toneladas. As fêmeas eram na verdade maiores que os machos, mas ambos os sexos tinham 60 dentes com mais de 20 centímetros cada, e eles ainda chegavam a 40 km/h na hora da caça. Esses gigantes viveram durante o final do período Cretáceo, há aproximadamente 66 milhões de anos, em toda a região que hoje é a América do Norte.

Como você já deve ter imaginado o Arquelônio é o ancestral de algumas tartarugas modernas. Esse ser era uma grande tartaruga marinha que viveu no período Cretáceo entre aproximadamente 75 e 65 milhões de anos atrás e foi encontrado nos Estados Unidos, ela tinha 3 a 4 metros de comprimento e pesava em torno de 1,5 a 2 toneladas, mas apesar do tamanho, as fêmeas ainda tinham de rastejar na praia para pôr os seus ovos.

O Megalodon obviamente é o ancestral dos famosos tubarões, ele viveu entre 23 e 2,6 milhões de anos atrás no período Mioceno no Oceano Pacífico. Seus dentes eram em muitos aspectos similares aos do tubarão-branco atual, mas com um tamanho que podia superar os 17 centímetros de comprimento, daí o seu nome, de "Megalodonte" que significa "dente enorme".
Essa criatura tinha entre 10 e 18 metros, com uma massa que podia chegar as 50 toneladas. Eles eram tão grandes que acredita-se que os Megalodontes adultos se alimentavam de baleias. Eles se extinguiram quando os mares polares se tornaram frios demais para a sua sobrevivência, o que acabou permitindo que as baleias pudessem prosperar durante o verão.

O Megaxantho Zogue era um crustáceo, um tipo de caranguejo pré-histórico que viveu a cerca de 20 milhões de anos atrás. Encontrado no México recentemente ele foi o primeiro caranguejo a desenvolver uma garra apenas para quebrar a casca de seus alimentos. Isso foi uma evolução tão importante que caranguejos tem ela até hoje.

Esse é o Dormaalocyon latouri, uma espécie de mamífero carnívoro que viveu a cerca de 56 milhões de anos atrás. Esta espécie é uma das mais antigas de carnívoros que conhecemos, acredita-se que foi esse animal que deu origem aos cães, gatos, doninhas e até mesmo ursos modernos. Esse ser andava de quatro, mas passava a maior parte do tempo em árvores procurando lugares para tomar sol.
Isso também quer dizer que cães e gatos são nada mais do que primos distantes, assim como seres humanos e chimpanzés.

O Elasmotherium, também chamado de Unicórnio Siberiano, obviamente deu origem aos rinocerontes, ele existiu a até uns 39.000 anos atrás e chegava a ter 4,5 metros de comprimento e podia pesar até 4 toneladas. Mas embora eles fossem gigantes, acredita-se que eles eram herbívoros muito gentis, eles se alimentavam apenas de grama, e não saiam por ai procurando brigas a não ser que fosse necessário se defender.

O mamute é provavelmente o "ancestral" mais famoso dessa lista, mas não, eles tecnicamente não são ancestrais dos elefantes modernos, eles são primos distantes, em outras palavras elefantes e mamutes tem o mesmo ancestral, mas se separaram e evoluíram lado-a-lado por séculos.
Como seus parentes modernos, os mamutes eram bem grandes, as maiores espécies conhecidas atingiram alturas de 4 m e pesos de até 8 toneladas, enquanto machos excepcionalmente grandes podem ter excedido 12 toneladas. No entanto, a maioria das espécies de mamutes era na verdade do tamanho de um elefante asiático moderno, com 2,5 a 3 m de altura e raramente excedendo 5 toneladas.

Uma família extinta de castores gigantes, esses eram os Castoroides, eles tinham mais de 1,80 m e pesavam pelo menos tanto quanto um ser humano adulto. Esses castores gigantes podem até ter coexistido com os seres humanos no que é hoje a América do Norte, de onde eles eram nativos. Eles só desaparecem do registro fóssil cerca de 11.000 anos atrás.
Castoroides foram alguns dos maiores roedores que já existiram. Embora semelhante em aparência aos castores modernos, eles tinham uma menor relação cérebro-corpo e um arranjo dental diferente, o que provavelmente os tornava menos capazes de construir as famosas barragens que seus descendentes são conhecidos por fazerem.

O Megatherium, também chamado de Preguiça-Gigante, como você deve ter imaginado deu origem as preguiças modernas, mas elas também são parentes distantes dos tamanduás e tatus modernos. Esse ser era um dos maiores mamíferos terrestres conhecidos, pesando até 4 toneladas e medindo até 6 m de comprimento da cabeça à cauda, sendo então do tamanho de elefantes modernos, ele só teria sido menor em seu tempo do que algumas espécies de mamutes.

A Titanoboa era a maior cobra já conhecida, essa criatura viveu cerca de 10 milhões de anos após a extinção dos dinossauros. Um membro da família boidae de cobras não venenosas, a titanoboa provavelmente se alimentou quase exclusivamente de peixes, prosperando no clima tropical da América do Sul. Ela tinha cerca de 12 metros e pesava até 1,135 kg.

O Gigantopithecus é provavelmente o monstro que deu origem ao mito do Pé-Grande, ele era um primata que viveu no Pleistoceno, aproximadamente entre 5 milhões e 100 mil anos atrás, na China, na Índia e também no Vietnã, habitando regiões e até uma época similar às dos primeiros hominídeos, como, por exemplo, o Homo erectus. Hoje sabe-se que o Gigantopithecus tinha mais ou menos 3 metros de altura e pesava algo entre 300 e 500 kg, sendo então de duas a três vezes maior que os atuais gorilas. O mais provável é que esse ser seja um antepassado de várias espécies de primatas modernos, sendo primos distantes dos orangotangos.

O Meganeura monyi era uma espécie de inseto pré-histórico que viveu no período Carbonífero, sendo muito parecido com as atuais libélulas. Com uma envergadura de mais de 75 cm de largura, foi o maior inseto voador que já viveu na Terra, tanto que ele era um predador nato que, possivelmente, se alimentava de outros insetos e até mesmo de pequenos anfíbios e répteis.

Forusracídeos, também chamados de aves do terror, são uma família extinta de grandes aves carnívoras, elas variavam de 1 a 3 metros de altura, tinham bicos enormes e curvados, como os das aves de rapina atuais, desenvolvidos especialmente para rasgar a carne de suas presas, suas pernas eram ágeis e muito musculosas, tanto que esses seres podiam alcançar até 50 km/h. Sua escala temporal cobre de 62 a 1,8 milhões de anos atrás. Hoje seus parentes mais próximos são as seriemas, que tem 80 cm de altura e não machucam ninguém.

E antes dos homens e mulheres modernos nós tínhamos os Australopithecus anamensis, que viveram entre 3,9 e 4,2 milhões de anos atrás. Embora ele seja nosso ancestral acredita-se que ele era vegetariano, alimentava-se de frutas, folhas e sementes, vivendo em perfeita harmonia com os animais menores. Eles eram pacíficos, e não assassinavam nada, bem diferente de hoje né?

Curtiu a matéria? Se você gosta de descobrir coisas novas todos os dias, sugiro que curta o nosso facebook e ative as nossas notificações agora mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário