sexta-feira, 10 de abril de 2020

Desvendando a verdade sobre os maiores mistérios do mundo

Mistérios é o que não falta por ai, desde aliens até teorias de conspirações, mas muitos deles na verdade já foram resolvidos, você apenas não sabia.
Confira agora nessa matéria da série Desvendendo a Verdade alguns dos maiores mistérios do mundo e suas explicações.

Onde está o corpo de Amelia Earhart?


A história de Amelia Earhart foi simplesmente revolucionária na época, ela foi a primeira mulher a voar sozinha pelo Oceano Atlântico, e pode ter sido a primeira a voar ao redor do mundo, mas em 1937 Amelia e seu avião desapareceram misteriosamente sobre o Oceano Pacífico.
Várias teorias de conspiração foram feitas sobre o seu desaparecimento, mas a verdade pode ter vindo a público em 2018 quando um novo estudo científico afirmou que os ossos encontrados em 1940 na ilha de Nikumaroro, no Pacífico, pertencem a Earhart, apesar de uma análise forense dos restos mortais conduzidos em 1941 terem ligado os ossos a um homem. 
Os ossos foram descobertos por uma expedição britânica que explorava a ilha em busca de assentamentos depois que a equipe encontrou um crânio humano. O oficial da expedição ordenou uma busca mais completa da área, o que resultou na descoberta de vários outros ossos e parte do que parecia ser um sapato de mulher.
Os especialistas compararam os comprimentos dos ossos às medidas de Earhart, usando sua altura, peso, estrutura corporal, comprimento e proporções dos membros, com base em fotografias e informações encontradas em suas licenças de piloto e motorista. Suas descobertas revelaram que os ossos de Earhart eram "mais semelhantes aos ossos Nikumaroro do que 99% dos indivíduos em uma grande amostra de referência".
Embora não se possa dizer com 100% de certeza de que o corpo era dela, até agora a teoria foi bem aceita e se informações novas não forem reveladas ela vai continuar assim.

Como construíram as pirâmides?


Escravos, animais gigantes e até aliens, existem várias teorias de como humanos puderam construir algo tão grande com blocos tão pesados, mas a resposta pode ser desapontante. Água e areia, simples assim. 
De acordo com novos estudos os egípcios simplesmente jogavam água na areia para deslizar os blocos gigantes mais facilmente, nada de especial mas que teve um excelente resultado.

Os nazistas fizeram um cão de duas cabeças?


Os nazistas fizeram várias experiências bizarras, por isso quase tudo é atribuído a eles, mas na verdade eles nunca fizeram esse monstrinho aqui. Mas o cão de duas cabeças é real!
O cão existiu, mas ele não era dos nazistas e sim dos soviéticos, o cientista Vladimir Demikhov foi o responsável por essa atrocidade, ele colocou a cabeça de um cão menor no corpo de um maior. 
O cão de duas cabeças sobreviveu a cirurgia, mas morreu rapidamente depois disso. Demikhov tentou o experimento no total mais de 24 vezes.

Pra que servem os símbolos de Nazca?


Desenhos gigantes que só podem ser vistos de cima, isso era o grande mistério que rondou Nazca por anos, mas agora a verdade pode ter sido revelada.
Em 2016, usando imagens de satélite de alta resolução, os arqueólogos determinaram que a série de linhas, conhecidas como puquios, serviam como um sistema hidráulico para recuperar água de aquíferos subterrâneos. 
"O que é claramente evidente hoje é que o sistema puquio deve ter sido muito mais desenvolvido do que parece hoje", disse Rosa Lasaponarac, do Instituto de Metodologias para Análise Ambiental da Itália, à BBC News. "Explorando um suprimento inesgotável de água ao longo do ano, o sistema puquio contribuiu para uma agricultura intensiva dos vales em um dos lugares mais áridos do mundo."


O que exatamente foi o "Bloop"?


"Bloop" foi o nome dado a um som subaquático extremamente poderoso detectado pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica em 1997. 
Detectado em uma parte remota do Oceano Pacífico, o Bloop era uma frequência ultrabaixa que podia ser ouvido através de hidrofones a quase 3.000 quilômetros de distância. Os cientistas não tinham ideia do que esse som era e as pessoas teorizavam de tudo, do famoso Kraken, até baleias e tubarões gigantes e vários monstros marinhos diferentes.
Não foi até 2012 que os cientistas finalmente concordaram com uma explicação para o Bloop. O som era na verdade um "icequake", um tremor de gelo resultante do colapso de icebergs em desintegração entre o estreito de Bransfield e o Mar de Ross, na Antártida.

Por que choveu sangue na Índia?


No verão de 2001, por mais de 2 meses, o estado de Kerala, na Índia, foi inundado por uma misteriosa chuva avermelhada, que foi logo apelidada de "chuva de sangue" pela mídia e pelos moradores locais. 
Mais de cem mil quilos de partículas vermelhas caíram, cobrindo tudo na área. Embora o fenômeno da chuva vermelha tenha acontecido antes (casos documentados remontam desde 1818), a chuva de sangue sobre Kerala atraiu a imaginação de religiosos, cientistas e pseudo-cientistas, especialmente quando dois pesquisadores publicaram um artigo afirmando que as partículas vermelhas eram esporos alienígenas.  Os religiosos por outro lado afirmaram que isso era uma punição divina, que Deus estava com raiva.
A causa real da chuva foi identificada quase imediatamente, embora ela tenha recebido muito menos atenção da mídia: esporos no ar de algas verdes locais. Embora esses esporos sejam comumente encontrados na atmosfera e tenham sido encontrados nas outras chuvas vermelhas em todo o mundo, ainda não há explicação para por que tantos choveram por tanto tempo.

Onde foram parar os maias?


Um dos grandes mistérios do mundo é onde foram parar os milhões de maias que viviam na América do Sul, de genocídio, doenças até (claro) alienígenas, tudo já foi usado para explicar esse sumiço do mapa.
Não foi até 2005 que uma teoria legítima foi apresentada para explicar o que aconteceu, uma teoria confirmada apenas em 2012. A civilização maia entrou em colapso devido a um desastre ambiental auto-criado. Os maias derrubaram muitas árvores, o que reduziu a capacidade da terra de absorver a radiação solar. Isso tornou as chuvas mais escassas, o que causou uma seca severa em suas terras. 
Os maias abandonaram suas terras não devido a alienígenas ou revolta politica, mas para encontrar comida e sobreviver em outro lugar.

A verdade sobre o vídeo do Pé-Grande


Filmado no norte da Califórnia em 1967, o filme conhecido como Patterson-Gimlin deve ser a mais conhecida "aparição" do Pé-Grande que existe, o vídeo já apareceu milhares de vezes em sites e documentários. 
Embora a autenticidade do filme ainda seja debatida por criptozoologistas e céticos em geral, eles nem deveriam se incomodar, isso porque um livro de 2004 do autor Greg Long já revelou a coisa toda como uma farsa. 
Um trabalhador local chamado Bob Heironimus usava uma fantasia e ele admitiu livremente a Long que ele mesmo havia feito o vídeo, ele disse que nunca havia admitido a verdade antes porque devido ao sucesso do vídeo ele ficou com medo de ser processado por fraude. Sua versão dos eventos é uma das mais aceitas hoje em dia.

O mistério dos 3 de Oklahoma


Três adolescentes de Oklahoma desapareceram misteriosamente em novembro de 1970, sem deixar nenhum vestígio para que o trio ou seu carro fossem encontrados. 
Seu desaparecimento pairou sobre sua pequena cidade durante décadas, levando a teorias que variavam desde assassinato até os três fugindo para evitar o recrutamento militar, todo morador tinha sua própria explicação. O departamento de polícia fez pouco para investigar o caso, e as famílias fizeram de tudo, desde oferecer dinheiro para obter informações até mesmo consultar um médium. 
Não foi até 2013, 40 anos depois do mistério começar, que ele foi finalmente resolvido. O Camaro dos adolescentes foi encontrado em um lago, onde a polícia local testava o novo equipamento de sonar. Três corpos foram encontrados dentro do carro, que foi submerso em apenas 12 metros de água, a 50 metros de uma rampa para barcos. Os corpos foram identificados como os três adolescentes, e embora não esteja claro se eles dirigiram o carro no lago acidentalmente ou foram assassinados, pelo menos suas famílias podem parar de procurá-los... aqueles que ainda estão vivos pelo menos.

O que é o Pilar de Ferro que nunca enferruja?


Provavelmente construído por volta de 450 EC, o pilar de ferro de 6 metros de altura encontrado no antigo Complexo Qutb de Déli surpreendeu tanto os moradores quanto os cientistas por causa de sua aparente resistência à ferrugem. Teorias sobre o "artefato fora de lugar" são muitas, desde de ele ser um presente dos Deuses, aliens, até ser um milagre moderno já que as pessoas locais da época não poderiam ter construído um objeto tão resistente a elementos. 
Mas análises científicas recentes mostraram que não apenas tal façanha estava bem dentro das capacidades das pessoas antigas, mas também revelou exatamente por que o pilar não enferruja, ele é na verdade revestido com uma fina camada de hidrogenofosfato de ferro hidratado (também chamado misawite), que mantém os elementos do lado de fora. 
O revestimento provavelmente acabou no pilar por meio de uma combinação de impurezas no ferro e nos fornos primitivos que os metalúrgicos estavam usando. 

As pedras que se mexem sozinhas


Desde a década de 1940 as pessoas têm coçado a cabeça sobre os acontecimentos aparentemente estranhos em um leito seco no Vale da Morte chamado Racetrack Playa. Lá, a cada 10 anos mais ou menos, pedras tão pesadas quanto 318 kg parecem misteriosamente se mover por conta própria, deixando rastros longos atrás delas na superfície árida do deserto. 
Ao longo dos anos, várias explicações, desde lendas sobre demônios da areia até algas escorregadias foram propostas, mas nenhuma delas parecia convincente. 
Finalmente, em 2011, pesquisadores do Scripps Institution of Oceanography da Universidade da Califórnia-San Diego decidiram resolver o enigma de uma vez por todas. Como o Serviço de Parques Nacionais não permitiria que eles conectassem dispositivos de GPS às rochas, eles trouxeram 15 pedaços de pedra de tamanho similar e os monitoraram. 
Demorou dois anos, mas eles finalmente conseguiram a resposta. No inverno, o deserto às vezes se enche de uma camada fina de água da chuva, que congela durante a noite e forma finas camadas de gelo. Quando o sol sai no dia seguinte, o gelo se derrete e se quebra em painéis que os ventos leves sopram através do deserto carregando as pedras com eles. 
Mas as pedras normalmente deslizam a uma velocidade de apenas alguns centímetros por segundo, devagar o suficiente para que os visitantes não possam realmente ver o movimento à distância, mas que possam perceber o efeito a cada década que passa.


O que exatamente foi a explosão do Evento de Tunguska?


Para quem não conhece esse mistério aqui vai o resumo: em 30 de junho de 1908, uma bola de fogo atravessou o céu siberiano, seguida por uma enorme explosão que atingiu 2.000 quilômetros quadrados de floresta remota. 
Os cientistas calcularam que o Evento de Tunguska, batizado em homenagem ao nome de um rio próximo, liberou uma quantidade de energia mil vezes maior do que a bomba atômica lançada em Hiroshima em 1945. Foi necessários aos pesquisadores até 1927 apenas para chegar ao local remoto, e a incapacidade de encontrar uma cratera de impacto nítida ou pedaços de um meteoro levou a algumas teorias fantásticas, incluindo cenários envolvendo antimatéria e, claro, OVNIs. Outros suspeitavam que a Terra tivesse sido atingida por um cometa, já que um cometa é basicamente uma bola de gelo, não deixaria rastros. 
Mas em 2007, uma equipe de pesquisadores italianos usou imagens acústicas para identificar a cratera, que se mostrou em um lago a 8 quilômetros ao norte do local originalmente identificado pelos cientistas. 
Pesquisadores ucranianos provaram então que o Evento de Tunguska foi, de fato, causado por um meteoro. Eles analisaram amostras datadas daquele verão e descobriram que elas continham fragmentos de minerais encontrados em meteoritos, assim como a lonsdaleita, uma substância conhecida por formar ondas de choque após uma explosão. Tão importante quanto isso, a combinação de todos esses elementos foi quase idêntica a um local de impacto de meteoros no Arizona.

O que exatamente é o navio fantasma do Holandês Voador?


Um mistério que remonta desde a época das grandes navegações, o que exatamente é o navio fantasma que flutua pelos marés? 
A explicação é simples, é tudo uma ilusão de ótica chamada Fata Morgana, ela faz com que os navios pareçam estar flutuando em alto mar, mas não tem nada a ver com fantasmas e muito menos com o Holandês Voador.

O Sudário de Turim foi onde o corpo de Cristo foi enrolado?


Infelizmente para os católicos não, embora muitos achem que o famoso Sudário tenha sido usado por Cristo ele é na verdade 1,300 anos mais novo do que ele deveria ser.
Esse mito já foi refutado várias vezes, mas como religiosos teimam em aceitar ele sempre reaparece por aí, na verdade a própria Igreja Católica já negou que o Sudário seja real, mas os seguidores da Igreja não querem ouvir.


O que foi essa foto do Monstro do Lago Ness?


Essa imagem de 1934 é uma das imagens mais famosas do Monstro do Lago Ness, e para o mistério ficar ainda maior ninguém sabe quem tirou a imagem que ficou conhecida apenas como "fotografia do cirurgião". 
Exceto que tudo isso é baboseira, quem tirou a foto foi Robert Kenneth Wilson, um ginecologista londrino, a imagem foi feita usando um submarino de brinquedo e é na verdade uma de duas imagens, para criar o "monstro" Wilson usou um submarino de brinquedo, a "cabeça" do monstro era madeira. O motivo para a foto estar tão perto do monstro é que Wilson cortou a imagem para dar um "zoom" nela.
Wilson, provavelmente com medo de ser processado e exposto ao ridículo, nunca admitiu oficialmente ser o autor da foto, mas várias fontes diferentes já ligaram a imagem ao seu nome.

Gostou? Então venha curtir o nosso facebook em Real World Fatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário