segunda-feira, 20 de abril de 2020

Curiosidades interessantes sobre o mundo dos livros

Aqui no nosso site você já viu curiosidades sobre tudo, incluindo filmes, séries, jogos e quadrinhos, mas nós nunca escrevemos sobre livros antes. Então essa matéria é para aqueles que adoram uma boa leitura, vocês vão descobrir coisas que nem imaginaram sobre o mundo dos livros. E depois de ler essa matéria venha curtir o nosso facebook para ver mais coisas interessantes e curiosas.

Antes de mais nada vamos voltar ao começo, afinal qual o livro mais antigo do mundo? Se nós ignorarmos papiros, tabletes e pergaminhos, o livro mais antigo que nós temos notícia é o Golden Orphism Book, escrito provavelmente em 660 A.C. 
O livro é na verdade um artefato de ouro trácio que consiste em 6 folhas encadernadas com um peso total de 100 gramas, com tamanhos de 5 a 4,5 cm, feitas de ouro de 23,82 quilates. Seu conteúdo está relacionado ao orfismo, que nada mais são do que um conjunto de praticas religiosas. Claro que o livro mais antigo seria religioso não é mesmo? O fato dele ser feito de ouro é provavelmente o motivo dele ter durado tanto tempo.


E falando em religião, o livro mais vendido do mundo, claro, é a Bíblia, mesmo ela tecnicamente não contando como apenas um livro, ela já vendeu mais de 5 bilhões de cópias ao redor do globo.


E falando em Bíblia, nós temos a Gutenberg Bible, que embora não seja o livro mais velho do mundo, pode ter sido o primeiro a ser imprimido em massa no ocidente. Suas cópias foram prensadas entre 1454 e 1455. E isso não foi um trabalho fácil, uma cópia completa desta Bíblia possui 1282 páginas, com texto em duas colunas. A maioria era encadernada em dois volumes devido ao seu tamanho.


O livro mais caro do mundo é o Book of Mormon, escrito por Joseph Smith em 1830. Em 2017 ele foi vendido pela bagatela equivalente a $ 36 milhões de dólares. E não é pra menos, o livro deu origem a uma religião inteira. Curiosamente quem comprou a obra foi uma Igreja Mormon.


Antigamente livros eram escritos a mão, mas uma tecnologia revolucionária ajudou escritores ao redor do mundo, a máquina de escrever. Acredita-se que "The Adventures of Tom Sawyer", escrito por Mark Twain em 1876, foi o primeiro livro escrito em uma máquina dessas, mas o autor odiou a experiência, ele até tentou se desfazer da máquina enquanto escrevia o livro, mas não conseguiu. É até mesmo possível que ele tenha contratado alguém para datilografar o que ele dizia, apenas para não ter de usar a máquina.


E falando em máquinas, os livros O Senhor dos Anéis e The Hobbit foram todos escritos apenas com dois dedos, o seu autor, J.R.R. Tolkien, não sabia datilografar.

A frase mais longa em um livro pertence a obra de 2001 "The Rotters' Club", escrito por Jonathan Coe, ela tem 13,955 palavras no total, um verdadeiro recorde.


Teeny Ted, de Turnip Town, publicado por Robert Chaplin, é certificado pelo Guinness World Records como a menor reprodução do mundo de um livro impresso. Ele tem no total 0,07 mm x 0,10 mm, as letras foram gravadas em 30 microtablets em um pedaço polido de silício cristalino único, usando um feixe de íons de gálio concentrado com um diâmetro de 7 nanômetros (isso pode ser comparado à cabeça de um alfinete com 2 mm de diâmetro).


Já o maior livro do mundo (em tamanho e não páginas ou caracteres) tem 1.500 Kg, e vem no tamanho de 5x8 metros. O livro é religioso, ele conta as histórias do profeta Maomé e fala sobre os benefícios do islamismo ao restante do mundo.


Muitas vezes as capas de livros são feitas de couro, e, acredite ou não, algumas vezes elas são feitas de couro humano. Bibliopegia antropodérmica é a prática de encadernar livros em pele humana. Existem várias obras por aí feitas com esse material, quatro delas estão atualmente na biblioteca da Universidade de Harvard.
Mas por que nossos antepassados faziam isso? Ninguém sabe ao certo, mas pesquisadores acreditam que isso se deveu em parte a uma lei do século XIX da Europa que dizia que os criminosos não podiam ser enterrados, eles tinham que ser dissecados publicamente ou deixados pendurados onde foram executados. Então esses livros eram um jeito de "aproveitar" os cadáveres ao máximo.


Livros podem ser reciclados para fazer muita coisa, até mesmo estradas. A M6 do Reino Unido foi feita usando 2,5 milhões de livros antigos da editora Mills e Boon.


Os livros mais banidos dos Estados Unidos são a saga Harry Potter, eles foram contestados pelo menos 23 vezes em 13 estados diferentes. O motivo foi sempre religioso, católicos achavam que o livro era uma má influencia as crianças já que ele falava sobre magia.


E falando no bruxinho, uma sequência não autorizada do livro foi publicada na China, na verdade o livro era apenas "The Hobbit", mas com os nomes dos personagens trocados pelos de Harry Potter e seus amigos.


Você já ouviu a palavra bibliosmia antes? Provavelmente não, esse é o nome dado ao ato ou gosto de cheirar o interior dos livros. Já abibliophobia é o medo de não ter nada para ler.


Antigamente autores não podiam ter seu nome na capa do seu livro, as capas eram reservadas para desenhos, pinturas e outras coisas do tipo, simplesmente não tinha espaço para o nome do autor.


"Remembrance of Things Past" (Em Busca do Tempo Perdido) é possivelmente o maior livro do mundo com 9,609,000 caracteres, incluindo espaços. Isso, claro, não contando livros que foram impressos em capítulos ou em uma série gigante.


A série de livros Devta, do autor Mohiuddin Nawab, começou a ser escrita em 1977, mas ela só terminou em 2010, foram 33 anos de histórias. Tudo isso com cerca de 11,206,310 palavras no total.

Um dos maiores clássicos da literatura com certeza foi O Mágico de Oz, escrito por L. Frank Baum em 1900. Mas o que poucos sabem é que o livro na verdade ganhou não uma ou duas sequências, mas sim treze delas. Sempre que o autor queria parar de escrever ele era "obrigado" por seus milhares de fãs a voltar ao trabalho.
E alguns dos livros tem títulos longos e bizarros, isso inclui: "Rinkitink em Oz: Onde está registrada a perigosa busca do príncipe Inga de Pingaree e do rei Rinkitink nas ilhas mágicas que se situam além da fronteira de Oz", "O Homem de Lata de Oz: Uma história fiel da surpreendente aventura empreendida pelo Homem de Lata, assistida por Woot the Wanderer, o Espantalho de Oz e Polychrome, a Filha do Arco-Íris" e "O caminho para Oz: em que está relacionado como Dorothy Gale, do Kansas, The Shaggy Man, Button Bright e Polychrome, a filha do arco-íris, se conheceram em uma estrada encantada e seguiram até a maravilhosa terra de Oz."

E aí? Curtiu a matéria? Então venha curtir o nosso facebook em Real World Fatos, e não deixe de ativar nossas notificações é claro. E você sabia que nosso site já foi fonte de um livro? Que tal você checar o "Guia Mortes Misteriosas" se tiver um tempinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário