Loading...

terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Animais que tem uma cor diferente do resto de sua espécie #2

Ás vezes quando você pensa em um animal ou inseto, você imediatamente pensa em uma certa cor, por exemplo: gafanhotos são verdes, joaninhas são vermelhas com pontinhos pretos e abelhas são amarelas. Mas isso nem sempre é verdade. Veja agora mesmo mais alguns animais com cores diferentes daquelas que você provavelmente está acostumado a ver.

Essa joaninha parece ser feita de ouro, e não é para menos, sua cor reluzente realmente se assemelha ao do metal precioso, mas primeiro de tudo, isso não é uma joaninha, e segundo, ela é transparente e não dourada!
Esse ser se chama Golden Tortoise Beetle (Besouro Tartaruga Dourada) e ela é um coleóptero, ou seja, é da família dos besouros e joaninhas, mas apesar do seu nome não é nem um e nem outro. Quanto a sua cor, ela realmente é transparente e não dourada, a primeira camada da sua cutícula é transparente, e por baixo dela fica uma camada de líquido, alterações na quantidade do liquido, que são controladas por válvulas microscópicas, alteram a cor refletida pelo inseto, deixando ele com uma cor dourada, mas ficando alaranjado ou castanho dependendo da época do ano.

Esse é o Mantis Shrimp, uma espécie de crustáceo super colorido, mas eles não apenas mostram várias cores, eles também enxergam várias cores. Esses seres marinhos caçam usando sua visão ultravioleta e infravermelho. Eles vivem no fundo do mar, onde cavam seus buracos ou aproveitam-se dos buracos deixados por outros animais para viver neles. São animais exclusivamente carnívoros, alimentando-se de camarões, caranguejos, moluscos, peixes e até mesmo outros da mesma espécie.

Essa é a Mariposa Rosada do Bordo (ou Mariposa de Bordo Rosado), ela foi descrita pela primeira vez por Johan Christian Fabricius em 1793, mas ela nunca ficou muito conhecida, principalmente por aqui na América do Sul.
Seu nome vem do fato delas gostarem de ficar em árvores de bordo. Além de suas cores elas não tem nada de muito diferente de uma mariposa "normal".

Esse é o Treron vernans, também chamado de Pombo Verde de Pescoço Rosado, ele é nativo da Ásia e pode ser encontrado em vários países incluindo Camboja, Indonésia, Malásia, Myanmar, Filipinas, Singapura, Tailândia e Vietnã. Eles vivem em florestas, mas devido a suas cores chamativas eles não se camuflam muito bem no seu habitat natural.

Esse é o Peixe-mandarim, e você provavelmente só vai ver ele em fotos mesmo. Esse peixinho praticamente vive escondido em fendas nos recifes de coral, alimentando-se de pequenos animais marinhos que passam próximos ao seu esconderijo. Mas hoje em dia ele é muito usado em aquários como animal de estimação. 
Ele se destaca por possuir cores fortes, brilhantes e desenhos organizados em sua pele. Essa característica é na verdade um mecanismo de defesa contra predadores, eles servem para indicar que a carne do Peixe-mandarim tem gosto ruim, já que seu corpo produz um muco viscoso de gosto e cheiro forte.

Abelhas não tem de ser amarelas, e a Abelha Carpinteira Azul prova isso muito bem, ela é encontrada no Sudeste Asiático, principalmente na Índia e sul da China. Sua vida é semelhante a de uma abelha "normal", indo de flor em flor coletando pólen, mas como ela é uma abelha carpinteira, ela normalmente vive em "casinhas" de madeira, seja em árvores ou em pedaços de bambu.


E falando em azul nós temos também a Haplopelma lividum, uma espécie de tarantula azulada que vive nas florestas asiáticas, ela é bem agressiva e rápida, e sua mordida pode causar inflamação e câimbras musculares. E mesmo assim asiáticos costumam ter elas como bichos de estimação... vai entender.


E falando em aranhas, nós temos a muito bem apelidada "aranha pavão", ou Maratus Volans. Suas cores brilhantes são usadas apenas na hora de seduzir um parceiro para acasalar. Mas para o azar da aranha, se ele não impressionar a fêmea, normalmente ela ataca e tenta matar ele. E você aí reclamando da sua vida amorosa.


Esse é o Estorninho-de-dorso-violeta, mas apenas os machos são assim, as fêmeas são marrons. Acredita-se que eles tenham sido descobertos em 1775, sendo descritos por Georges-Louis Leclerc, conde de Buffon. 
A ave é encontrado nas florestas e nas bordas das savanas da África Subsaariana continental. Raramente é vista no chão, sendo comumente encontrada em árvores.


Essa é a San Francisco Garter Snake, ou em nossa língua, Cobra-Liga de São Francisco. Alguns pesquisadores estimam que existem apenas 1.000 a 2.000 cobras adultas dessa subespécie por aí, mas como ela é muito elusiva pode ser que existam mais delas em áreas desconhecidas. Elas podem crescer a até 140 cm e embora suas cores pareçam indicar perigo, ela é basicamente inofensiva para humanos, elas nem ao menos tem presas em sua boca.


Essa é a Vespa-cuco, elas tem um tom metálico e vivem em desertos ao redor do mundo. Ela é chamada de cuco porque, assim como a ave de mesmo nome, ela põe seus ovos nos ninhos dos outros. Já Chrysididae, o nome científico da família dela, refere-se a seu corpo brilhante, a palavra é derivada do grego "chrysis", que significa "recipiente de ouro" ou "vestido bordado de ouro".


Isso aqui é um Gafanhoto cor-de-rosa, mas ele não é uma espécie separada, isso é fruto de uma mutação genética mesmo. Infelizmente, por não poderem se camuflar nas folhas verdes, esses insetos são presa fácil, ou seja, eles quase nunca chegam a se reproduzir na natureza.


O Caranguejo Roxo pode ser encontrado abrigado sob as rochas em áreas ao longo da costa oeste da América do Norte, do Alasca até o México. Ele come principalmente alface do mar e outras algas verdes, mas, ocasionalmente, come animais mortos também.


Esse é o Polvo-de-anéis-azuis, um nome que foi dado a ele por um motivo óbvio não é mesmo? Alimentam-se principalmente de crustáceos, como caranguejos e camarões, embora ocasionalmente se alimentem de peixes também. A presa fica paralisada devido à poderosa neurotoxina presente na saliva do polvo.


Esse é o Rolieiro-de-peito-lilás, a ave habita bosques e savanas na África, mas evita qualquer deserto. Esse passarinho tem um modo de vida solitário, agrupando-se em casais apenas na época de reprodução. Passa a maior parte do tempo em ramos de árvores, postes de eletricidade ao longo de estradas e outros locais elevados, de onde consegue detectar possíveis presas.


E esse aqui é o Granadeiro-púrpura, ele é encontrado em matagais secos na Etiópia, Quênia, Somália, Sudão do Sul, Tanzânia e Uganda. Normalmente só o macho tem essas cores, com as fêmeas tendo apenas o rosto manchado de púrpura e um corpo amarronzado.


Esse lagarto é da família chamada Agamidae, eles tem pernas fortes e bem desenvolvidas, mas suas caudas não se regeneram como as dos seus parentes, embora parte da regeneração possa ser observada em alguns deles. Muitas espécies são até capazes de mudar de cor, mas de uma maneira muito limitada.


O Besouro dogbane, do leste da América do Norte, é um membro da subfamília Eumolpinae. Ele é encontrado principalmente a leste das Montanhas Rochosas e é um dos mais brilhantes de sua família, sempre com um tom metálico que pode ser verde, vermelho, dourado e azulado, ás vezes com uma cor de cada vez e ás vezes com todas elas juntas.

Quer ver mais matérias legais como essa? Entre em nosso facebook, se divirta e depois curta nossa página para ver ainda mais matérias como essa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...