terça-feira, 19 de novembro de 2019

Curiosidades sobre He-Man, She-Ra e os Mestres do Universo

Quem não se lembra de He-Man e suas lições de moral, e She-Ra e suas... bom... lições de moral. Mas existem muitas coisas por aí que você com certeza não conhece sobre eles, por exemplo de onde eles vieram, quem eles copiaram e porque foram criados.
Confira algumas das melhores curiosidades sobre He-Man, She-Ra e seus amigos agora mesmo.

Você só deve se lembrar do He-Man graças a sua série animada não é mesmo? Mas ele não nasceu ali, He-Man e seus amigos eram originalmente brinquedos! Mas você tem de saber que He-Man nunca existiria se não fosse por Star Wars.
Em 1976 a produtora de brinquedos Mattel foi oferecida um contrato para produzir todos os brinquedos da saga de Star Wars (Guerra nas Estrelas), mas o CEO da empresa passou a oportunidade, alguns dizem que ele achou o preço caro demais.
Como você já deve saber, Guerra nas Estrelas se tornou um negócio bilionário e a Mattel viu todo aquele dinheiro que poderia ser deles indo pelo ralo, então a produtora decidiu que iriam criar eles mesmos um competidor para a saga espacial, assim nasceu He-Man.

Mas He-Man não era nem um pouco original, para fazer os bonecos a Mattel simplesmente pegou bonecos da linha Big Jim e colocou peças de barro em cima dele.

Até o Gato Guerreiro de He-Man, e também o Panthor, eram apenas o tigre de brinquedo da linha Big Jim pintados de outras cores.


E o vilão Homem-Fera era originalmente tão parecido com o Chewbacca de Star Wars que a Mattel foi obrigada a mudar o design dele para evitar processos.


O brinquedo que você vê acima foi o He-Man original, seu cabelo foi mudado de negro para loiro como uma "homenagem" a um dos trabalhadores da Mattel, e também para fazer ele parecer mais amigável e bonzinho para as crianças. 
Sua pele também ficou mais branca, já que ele parecia muito "árabe" desse jeito para interessar crianças americanas.


O He-Man poderia ter sido bem diferente do que ele foi. Originalmente três versões do boneco foram feitas, um era um soldado futurista, outro um guerreiro espacial, e o terceiro um guerreiro bárbaro. O boneco bárbaro foi o escolhido dos três para começar a desenvolver uma nova linha de brinquedos.

Já se perguntou por que o personagem se chama assim? Afinal He-Man significa literalmente "Ele-Homem". Segundo seu criador o nome era pra ser genérico mesmo, a ideia era que com esse nome as crianças poderiam colocar o personagem em qualquer tipo de situação imaginária. 
No total quase 50 nomes foram testados, incluindo Mighty Man (Homem Poderoso), Megaton Man (Homem Megaton), Strong Man, (Homem Forte) e Big Man (Homem Grande). E se você acha isso ruim saiba que durante sua criação ele era chamado apenas de "Boneco de Ação Genérico".
Já She-Ra era chamada de She-Ro, mas o nome não era feminino o suficiente, então eles mudaram para "Ra" em referência ao deus egípcio de mesmo nome.


E os Mestres do Universo se chamariam Lordes do Poder, mas a Mattel achou o nome muito religioso e mudou ele. No Brasil eles também foram chamados de Defensores do Universo.

He-Man foi até um sucesso quando foi lançado, mas a Mattel logo encontrou um grande problema, os bonecos de Star Wars vendiam porque as crianças assistiam os filmes de Star Wars, e os bonecos de Star Trek vendiam por causa da série de televisão. Então por que as crianças comprariam o He-Man se ele era só um boneco? 
A Mattel passou a lançar os bonecos com mini-revistas em quadrinhos que explicavam a história do personagem para impulsionar as vendas, mas crianças não gostavam de ler tanto assim, na verdade muitas delas nem sabiam ler na época, eles então decidiram fazer algo novo...

...e assim, em 1983 foi criada a série de televisão He-Man e os Defensores do Universo. Seu único objetivo era impulsionar as vendas dos brinquedos, por isso a série foi descrita como "comerciais de 30 minutos", eles nunca esperavam que ela se tornasse uma das séries mais populares dos anos 80. Muitos fãs até passaram a achar que os bonecos foram feitos por causa da série e não o contrário. 
Na verdade os criadores de He-Man tiveram uma reunião com a loja de brinquedos Toys "R" Us, mas a reunião não foi muito bem, então para não perder a viagem os criadores mentiram e disseram que tinha um especial de uma hora do personagem sendo feito, eles nem tinham planos de fazer um desenho nessa época.
He-Man se tornou o primeiro show sindicado a ser baseado em um brinquedo. Em 1984, ele foi visto em 120 estações dos E.U.A e em mais de 30 países diferentes.

Mas o desenho era super-barato, tanto que originalmente o personagem Orko era chamado Gorpo, mas a empresa de desenhos animados Filmation mudou seu nome para Orko para que eles pudessem virar e reutilizar suas células de animação com mais eficiência. 
Originalmente, ele tinha um "G" grande no peito que não podia ser invertido, mas a letra "O" pode ser vista de qualquer ângulo e ainda vai ser um "O".


E por ser barato o desenho reutilizava as mesmas poses o tempo inteiro, como você pode ver logo acima. Agora como ninguém reconhecia o He-Man como o Príncipe Adam já é outra história...

Originalmente o Príncipe Adam seria um personagem separado de He-Man, mas seu design original foi criticado por ser muito flamboyant (palavra usada para descrever coisas gays). Ele acabou virando o alter-ego do herói depois de um redesign.


E se você prestar atenção vai ver que He-Man nunca realmente bateu em ninguém, devido as restrições e censuras da época eles não podiam animar cenas de lutas, He-Man só podia agarrar e jogar seus inimigos, e usar sua espada? Nem pensar.

Originalmente She-Ra não tinha uma tiara, mas sim uma máscara que podia ser virada. O que aconteceu foi que durante testes as meninas colocavam a máscara ao contrário e usavam ela como se fosse uma tiara na boneca. Isso fez com que a Mattel decidisse refazer o design dela.


E falando em She-Ra, ela só foi criada porque a Mattel percebeu que muitas das pessoas que assistiam o desenho do He-Man eram garotas, eles então resolveram criar uma coadjuvante feminina para a série. Mas isso gerou um problema, as lojas não sabiam onde colocar as bonecas da She-Ra, ela era uma boneca de ação, mas também era feita para garotas, por isso eles não sabiam se colocavam ela junto com as Barbies ou com os bonecos de ação tipo os G.I. Joe. Algumas lojas tiveram de colocar ela em ambas as seções pra ver qual vendia mais.


E falando em Barbies, She-Ra ajudou a trazer a boneca loira de volta dos mortos. Na época que a boneca foi lançada as Barbies estavam passando por um momento difícil, as vendas tinham simplesmente despencado, então a Mattel queria usar a She-Ra para impulsionar as vendas da Barbie, e deu certo, a boneca loira atingiu cerca de 350 milhões de dólares em vendas naquele ano.


Antes da Mattel lançar a linha de bonecas She-Ra, eles foram avisados de que o romance de fantasia da escritora Barbara Hambly, "Ladies of Mandrigyn", contava com uma personagem chamada Sheera. A Mattel então decidiu comprar os direitos dos livros por US$ 25.000, para que nenhuma empresa concorrente de brinquedos pudesse tentar competir com eles.

He-Man deveria ter tido um filho, a série se chamaria "He-Ro, Son of He-Man", mas ela nunca foi feita. 
He-Ro seria o filho adotado de He-Man, e em outra versão ele era o filho de He-Man com Teela. Seu grande vilão seria Skeleteen, o filho de Skeletor.

Curiosamente algo similar aconteceu com o ancestral de He-Man que também se chamava He-Ro. O personagem seria a peça central de "Os poderes de Grayskull", uma linha de brinquedos de 1987 que seriam ambientados no passado pré-histórico de Eternia, chamado "Preternia", e que prometeu revelar segredos sobre a fonte do poder de He-Man, através das aventuras de He-Ro, o mais poderoso mago do universo.
O personagem até apareceu como uma sombra em uma HQ do He-Man, mas a linha de brinquedos foi cancelada, e o herói nunca apareceu. As crianças ficaram loucas ao perceber que não teriam nenhuma de suas perguntas respondidas.
He-Ro só chegou a ser feito em 2009, 22 depois dele ser anunciado, quando ele finalmente foi lançado todas as crianças que queriam ele já eram adultos.


Lendo tudo isso você deve achar que He-Man e seus amigos eram um sucesso não é? E eles foram, mas só por um tempo. Pra se ter uma idéia no seu auge He-Man e os Mestres do Universo estavam vendendo cerca de US$ 400 milhões em mercadorias, mas as vendas despencaram para apenas US$ 7 milhões em 1987. He-Man praticamente foi a falência mesmo tendo lucrado quase 2 bilhões de dólares no passado.
Já She-Ra nunca foi tão famosa quanto He-Man, ela vendeu apenas US$ 60 milhões no seu auge, e muitos culparam ela pelo fracasso de He-Man, mas os motivos eram outros. Primeiro a série de televisão havia acabado e as crianças tinham perdido o interesse no personagem, e para piorar vários outros bonecos de ação foram lançados para aproveitar o sucesso da franquia, o que causou uma saturação no mercado.


Mesmo com a franquia indo para o buraco a Mattel não queria desistir da sua galinha de ovos de ouro, por isso eles começaram a pensar em novas maneiras de relançar a linha, uma delas foi H.E.M.A.N, nessa versão o herói seria uma espécie de super-soldado futurista, mas, ainda bem, que eles desistiram antes de começar a linha de brinquedos. 
No fim eles acabaram só fazendo outra série de desenho chamada "As Novas Aventuras de He-Man", com um design novo, mas simples, que foi criticado por muitos na época.


Embora He-Man possa parecer um desenho simples e meio besta hoje em dia, na época ele era um sucesso respeitado, e acredite ou não, muitos dos grandes nomes da indústria dos quadrinhos escrevem para o He-Man, isso inclui Paul Dini (o co-criador da Arlequina), Donald F. Glut (que acabou escrevendo Guerra nas Estrelas: O Império Contra-Ataca), Earl Norem (conhecido por suas capas incríveis) e Alfredo Alcala (escritor de vários títulos da DC Comics).


E você consegue adivinhar em quem o personagem Standor foi inspirado? É isso aí, na lenda dos quadrinhos Stan Lee. No mundo de He-Man ele é um ser primordial de imaginação ilimitada que ajudou a criar o Universo.
Stan nunca trabalhou diretamente com as revistas do He-Man, o boneco foi feito em parceria com sua empresa, e ele vinha com capacete, armadura e óculos escuros removíveis.


Devido a tudo isso He-Man acabou sendo publicado nas maiores editoras de quadrinhos dos E.U.A, ele apareceu tanto na DC, onde ele batalhou contra o Super-Homem, quanto na Marvel Comics.

E é isso pessoal, agora não se esqueça de visitar e curtir o nosso facebook em Real World Fatos para mais matérias divertidas e interessantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário