quinta-feira, 27 de junho de 2019

Coisas que foram inventadas por puro acidente

Quem disse que para inventar algo você precisa de anos de dedicação e estudo? Muito do que você usa hoje em dia foi inventado por puro acidente. 
Confira nessa lista algumas coisas que poderiam nunca ter existido se não fosse pura sorte.

Vamos começar com algo que parece inacreditável de se ouvir, parte da ciência moderna é baseada em um acidente. Foi Descartes que disse que "a conquista da natureza deve ser alcançada através do número e medida", o que é um dos fundamentos básicos da ciência moderna.
Mas como ele chegou a essa conclusão? O cara ingeriu cogumelos alucinógenos e em sua alucinação um anjo veio até ele e disse essas palavras. Ou seja, o começo do famoso método cientifico veio de uma grande alucinação.

Politetrafluoretileno, mais conhecido como teflon, foi inventado por puro acidente em um laboratório da DuPont em Nova Jersey em 1938. 
Roy Plunkett, um químico nascido em Ohio, estava tentando fazer um novo gás refrigerante CFC quando percebeu que uma lata de tetrafluoroetileno, apesar de parecer vazia, pesava tanto quanto se estivesse cheia. Depois de cortar a lata com uma serra, Plunkett descobriu que o gás havia reagido com o ferro e revestiu seu interior com politetrafluoroetileno polimerizado, uma substância antiaderente cerosa e repelente à água. 
A Du Pont logo viu o potencial da descoberta acidental de Plunkett e começou a produção em massa de PTFE, mas não foi até 1954, quando a esposa do engenheiro francês Marc Grégoire pediu ao marido que usasse a mesma substância para cobrir a sua panela para impedir que a comida grudasse nela, que a verdadeira utilidade da descoberta foi finalmente realizada.

A Slinky é essa molinha que as crianças costumavam brincar, o brinquedo é simples, mas isso não quer dizer que alguém teve a ideia sozinho.
Em 1943, o engenheiro naval Richard T. James estava trabalhando na Filadélfia quando acidentalmente derrubou uma mola, que ele estava tentando modificar em um estabilizador para o equipamento marítimo do navio, de uma prateleira alta. 
Para sua surpresa, a mola se desenrolou e desceu da estante até uma pilha de livros, e de lá para uma mesa, e depois para o chão, ao se divertir vendo aquela cena James pensou que outras pessoas também gostariam de ver, e pronto, assim nasceram as Slinky's. 
Após dois anos de desenvolvimento, o primeiro lote de 400 brinquedos Slinky foi vendido em apenas 90 minutos, quando foram demonstrados no departamento de brinquedos de uma loja local da Gimbels em 1945.


Similarmente a Silly Putty é outro brinquedo que foi criado acidentalmente. Basicamente uma massinha de modelar, sua história começa no auge da Segunda Guerra Mundial.
Durante a Segunda Guerra Mundial, a borracha passou a ser racionada nos Estados Unidos depois que o Japão invadiu uma série de países produtores de borracha no sudeste da Ásia e prejudicou a produção. Uma corrida em busca de um substituto adequado havia começado, uma borracha sintética que pudesse ser produzida dentro dos EUA sem a necessidade de importações do exterior, o que eventualmente levou à invenção totalmente inesperada da Silly Putty. 
Há pelo menos duas reivindicações rivais sobre a invenção da Silly Putty (principalmente do químico Earl L. Warrick e do engenheiro escocês James Wright), que descobriram que a mistura de ácido bórico com óleo de silicone produzia uma substância elástica semelhante a borracha. Assim nasceu o brinquedo.

Já a massinha de modelar não tóxica Play-Doh foi acidentalmente inventada em 1955 por Joseph e Noah McVicker que estavam tentando fazer um limpador de papel de parede. 
O novo brinquedo foi comercializado um ano depois pelo fabricante de brinquedos Rainbow Crafts, mas a receita continua sendo um segredo até hoje.

Os Post-Its são esses papeizinhos colantes que as pessoas deixam com anotações por aí. Em 1968, um químico da 3M chamado Dr. Spencer Silver estava tentando criar um adesivo super forte, quando inventou acidentalmente o oposto disso, um adesivo super-fraco, que poderia ser usado para unir as coisas de maneira temporária. 
Em 1973, depois de 5 anos sem uso para sua invenção acidental, um colega chamado Art Fry participou de um dos seminários de Silver e achou que sua cola poderia ser usada para colocar marcadores nas páginas de seu hinário. 
Demorou mais alguns anos para a 3M se convencer da ideia de Fry e Silver e da capacidade de venda de seu produto, mas acabou desenvolvendo um design único que funcionou perfeitamente: uma película fina de adesivo foi aplicada em apenas uma borda de um pedaço de papel.
A invenção foi um sucesso e ela é usada até hoje em vários lugares do mundo.


Em 1878 pra 79, Constantin Fahlberg, um químico que estudava as propriedades do alcatrão de hulha oxidado na Universidade Johns Hopkins em Baltimore, Maryland, descobriu que ao comer uma refeição que ele pegava com os dedos, ela ficava mais doce do que o normal. 
Ele rapidamente rastreou o efeito adoçante de volta ao produto químico com o qual ele estava trabalhando naquele dia e, notando seu potencial, rapidamente montou uma marca comercial produzindo seu adoçante sob o nome de Sacarina. 
Embora rapidamente popular (e igualmente polêmica), foi necessário a falta de açúcar de duas Guerras Mundiais para tornar a descoberta algo universal.


O primeiro picolé teria sido inventado por Frank Epperson, de apenas 11 anos, em 1905, quando ele acidentalmente deixou um recipiente de refrigerante em pó e água, com a vareta de mistura ainda dentro, em sua varanda durante a noite. 
Uma inesperada noite fria depois, e o picolé, que Epperson originalmente comercializou 20 anos depois como um Epsicle, nasceu.


O vidro de segurança, ou vidro laminado, foi acidentalmente descoberto pelo químico francês Édouard Bénédictus quando ele bateu num copo de vidro em uma prateleira alta em seu laboratório e descobriu, para sua surpresa, que ele rachou, mas não quebrou quando caiu. 
Seu assistente informou-o de que o béquer continha nitrato de celulose, um tipo de plástico natural, que deixara um filme no interior do vidro. Ele registrou uma patente para sua descoberta em 1909, e está em produção desde então.


Percy Spencer estava experimentando um novo tubo de vácuo chamado magnetron enquanto fazia pesquisa para a Raytheon Corporation em 1945. Ele tentou outro experimento quando a barra de chocolate em seu bolso começou a derreter, Spencer viu imediatamente o potencial desse processo revolucionário. 
Em 1947, a Raytheon construiu o Radarange, o primeiro forno de microondas, que pesava 340 kg, tinha 15 metros de altura e custava cerca de US$ 5.000. Quando o Radarange tornou-se disponível para uso doméstico no início da década de 1950, seu tamanho volumoso e seu preço caro tornaram-no impopular junto aos consumidores. Mas em 1967, uma versão muito mais popular de 100 volts, foi lançada ao preço de US$ 495.


Uma das maiores descobertas do mundo da medicina foi a penicilina, mas até isso foi um acidente.
Em seu laboratório no porão do St. Mary's Hospital, em Londres, Alexander Fleming notou uma placa de Petri contendo Staphylococcus que havia sido deixada aberta por engano, foi contaminada por mofo azul-esverdeado de uma janela aberta, que formava um crescimento visível. Haviam um espaço de crescimento bacteriano inibido em torno do molde. Fleming concluiu que o fungo liberava uma substância que reprimia o crescimento e causava a lise (quebra da membrana de uma célula) das bactérias. 
Mas os cientistas agora suspeitam que a história de Fleming sobre a descoberta é falsa. Com um entendimento moderno de como as bactérias e o molde interagem, os cientistas sabem que se as bactérias já estivessem presentes na placa de Petri, elas teriam inibido o crescimento do molde e Fleming não teria notado nenhum molde na placa. Uma história mais provável é que um esporo de um laboratório no andar inferior, administrado por C. J. La Touche, foi transferido para a placa de Petri de Fleming antes que as bactérias fossem adicionadas.
Ou seja, além de ser um acidente, ninguém sabe realmente como aconteceu.


Um dos salgadinhos mais populares do mundo, a batata chips, nunca foi algo planejado pelo chef George Crum, ele supostamente criou o lanche salgado em 1853 na Moon's Lake House perto de Saratoga Springs, Nova York. 
Farto de um cliente que continuava enviando suas batatas fritas de volta, reclamando que elas estavam encharcadas e não crocantes o suficiente, Crum cortou as batatas o mais finas possível, fritou-as com gordura quente e depois as encheu com sal. 
O cliente, para a surpresa do chef, amou o prato e as "Saratoga Chips" rapidamente se tornaram um item popular em toda a Nova Inglaterra. Por fim, os chips foram produzidos em massa para consumo doméstico, mas como eram armazenados em barris ou latas, rapidamente estragavam. 
Então, na década de 1920, Laura Scudder inventou a sacola hermética ao passar dois pedaços de papel encerado, mantendo assim as batatinhas frescas por mais tempo. 


Fogos de artifício foram inventados na China cerca de 2.000 anos atrás, e a lenda diz que eles foram acidentalmente inventados por um cozinheiro que misturou carvão, enxofre e salitre, todos itens comumente encontrados em cozinhas naqueles dias. A mistura queimou e quando comprimida em um tubo de bambu, explodiu. 


Acredite ou não o sorvete foi servido em pratos por anos, não foi até a Feira do Mundo de 1904 que a casquinha de sorvete nasceu. 
Uma barraca de sorvete na feira estava indo tão bem que eles estavam rapidamente ficando sem pratos, enquanto a barraca de waffles persas do vizinho não estava vendendo nada. Os dois donos de barraca tiveram a ideia de enrolar os waffles, colocar o sorvete em cima e pronto! A casquinha de sorvete nasceu.


Charles Goodyear passou anos de sua vida tentando encontrar uma maneira de tornar a borracha resistente ao calor e ao frio. Depois de várias tentativas frustradas, ele finalmente encontrou uma mistura que funcionou. 
Antes de apagar as luzes uma noite, ele acidentalmente derramou um pouco de borracha, enxofre e chumbo em um fogão, resultando em uma mistura que carbonizou e endureceu, mas ainda podia ser usada em sapatos e pneus.


No início de 1900, a goma-laca era o material de escolha quando se tratava de isolamento, mas devido ao fato dela ser feita a partir de besouros do sudeste asiático, o material não era barato de importar. Por essa razão, o químico Leo Hendrik Baekeland achou que poderia ganhar algum dinheiro produzindo uma alternativa. 
O que ele inventou, no entanto, foi um material moldável que poderia ser aquecido a temperaturas extremamente altas sem ser distorcido, conhecido hoje como plástico.

Wilson Greatbatch estava trabalhando em uma engenhoca que gravaria batimentos cardíacos humanos, foi quando ele acidentalmente inseriu o resistor errado no mecanismo que acabou imitando perfeitamente o ritmo do coração humano, ele havia criado o primeiro marcapasso do mundo.

O engenheiro suíço George de Mestral estava em uma viagem de caça com seu cachorro em 1948, quando notou como os carrapichos grudavam em suas peles. 
Eventualmente, ele conseguiu reproduzir o efeito em seu laboratório, mas não foi até a NASA aparecer na década de 1960 e começar a usar o material em seu programa espacial que esse "zíper sem zíper" foi realmente popularizado, hoje porém ele é chamado apenas de velcro.


Em 1895, Wilhelm Roentgen estava realizando um experimento usando raios catódicos, e ele percebeu que um papelão fluorescente do outro lado da sala estava se iluminando. Isso apesar do fato de que havia um grosso bloco entre o raio catódico e o papelão. 
A única explicação era que os raios de luz estavam realmente atravessando pelo bloco sólido, ele havia criado o famoso raio-x sem saber.


Harry Brearly, um metalúrgico inglês, foi solicitado por fabricantes de armas a desenvolver um cano de arma que não enferrujaria. 
Depois de testar sua criação em vários corrosivos, até em suco de limão, ele percebeu que aquilo ali seria o material perfeito para talheres. Assim nasceu o aço inoxidável.

Se quiser ver mais matérias incríveis venha curtir o nosso facebook em Real World Fatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário