terça-feira, 26 de março de 2019

Curiosidades sobre Chapolin, uma das séries mais amadas do Brasil

Você se lembra de nossa matéria "Curiosidades sobre Chaves, a série mais amada do Brasil"? Bom, não dá pra falar de Chaves sem falar do Chapolin.
Veja agora algumas curiosidades sobre a série que você nunca deve ter visto antes. 

Assim como Chaves, "El Chapulín Colorado" é uma série de televisão mexicana criada e estrelada pelo ator e escritor Roberto Gómez Bolaños, a série parodiava os super-heróis norte-americanos e fazia constantemente críticas sociais em relação à América Latina. Mas vamos começar do começo, como a série foi criada?
Em 1968, Roberto Bolaños escrevia roteiros para o programa "Cómicos y canciones", estrelado pela dupla de comediantes Viruta e Capulina. O programa chegou ao fim naquele ano mas, com o sucesso que ele obteve, Roberto passou a escrever roteiros de humor para diversos outros comediantes. Foi quando o produtor Sergio Peña o contratou para trabalhar na Televisión Independiente de México e ofereceu-lhe um programa com duração de meia hora. 
Roberto então escreveu e atuou na série "El Ciudadano Gómez", que foi muito elogiada na época, apesar de só ter durado treze episódios. 
Depois desse programa, Sergio Peña ofereceu a Bolaños o trabalho de escrever roteiros para quadros do programa "Sábados de la fortuna". Bolaños então criou o quadro "Los supergenios de la mesa cuadrada". 
Os quadros fizeram muito sucesso e foram unificados para virar o programa "Chespirito", que era exibido às segundas-feiras em horário nobre, e incluía diferentes esquetes de humor. Foi então que nasceu o Chapolin Colorado, uma paródia dos famosos heróis americanos que eram perfeitos, enquanto Chapolin era tudo menos isso. 
O herói foi bem aceito pelo público mexicano e ofuscou o maior sucesso de Bolaños até então, "Los Supergenios de la mesa cuadrada", o  sucesso foi tanto que ele ganhou espaço próprio na emissora. 
O herói devido a sua fama, foi vendido a empresa de hipermídia em 1975, e foi ficando cada vez mais famoso no Norte e Sul Americano.

O Chapolin tem um visual icônico e fácil de ser reconhecido, mas ele nem sempre foi assim, e as coisas podiam ter sido bem diferentes.
Quando eles foram criar o uniforme do personagem eles queriam a cor verde, mas só haviam quatro cores de tecido disponíveis na emissora: azul, preto, branco e vermelho. 
Preto não era interessante porque, para Chespirito, dava a impressão de luto, o que iria desmotivar as pessoas a assistirem o programa. Branco era muito ruim para a televisão da época, por ser uma cor muito clara, que refletia muito a luz no vídeo analógico. Azul era ruim porque isso iria confundir o chroma key, recurso que Chespirito já planejava usar desde o começo. 
A escolha então foi o vermelho, não porque ele tinha algum significado especial, mas por simples eliminação mesmo. E surgiu o "Colorado" do nome do personagem. 
E como você pode ver seu primeiro uniforme era um pouco diferente do que conhecemos hoje, ele tinha "asas", um gorro mais solto e seu coração ficava na barriga e não no peito.

Já o nome Chapolin foi criado baseado na cor escolhida por Bolaños, que teve a ideia de fazer do super-herói um gafanhoto. Isso porque, no México, há uma espécie de gafanhoto vermelho conhecido como chapulín, que é usado na alimentação local. 
Bolaños até chegou a cogitar o nome "El Chapulín Justiciero", mas logo percebeu a carga moral que esse nome trazia. Como a intenção não era política e sim cômica, "Colorado" foi o nome escolhido. 

Segundo a informação oficial do SBT Chapolin só chegou ao Brasil em 24 de agosto de 1984, no programa TV Pow, apresentado por Sérgio Mallandro e Mara Maravilha. 
Chapolin estreou no Brasil com a exibição do episódio "Aristocratas vemos, gatunos não sabemos", em que Ramón Valdés é um conde que rouba selos do personagem interpretado por Carlos Villagrán. 
A aceitação foi ótima, e em 1990 foi comprado um novo lote, de cerca de sessenta episódios. 
Chapolin, então, passou a ser exibido em horário nobre, algo inesperado para uma série que nem ao menos era brasileira.

A "identidade secreta" do Chapolin é Chapulín Colorado Lane, seu pai chamava-se Pantaleón Colorado y Roto, e ele era primo de segundo grau de Juan Colorado (um cantor mariachi) e neto de Chucho el Roto (um lendário bandido mexicano).
O nome Lane era uma piada com Lois Lane, a eterna namorada do Super Homem, em outras palavras Chapolin era "filho" dos dois.

A fama foi tanta que o personagem até virou jogo, Chapolim x Drácula: Um duelo assustador, é um jogo para Master System lançado pela brasileira Tec Toy em 1993. 
O jogo é uma reprogramação gráfica, e textual oficial feita pela Tectoy, autorizada pela Sega, do jogo original Ghost House.

Além disso o criador de Os Simpsons, Matt Groening, já declarou que ele criou o personagem Bumblebee Man depois de assistir Chapolin na televisão em um motel na fronteira Estados Unidos-México.

A própria gigante dos quadrinhos Marvel já homenageou Chapolin, a personagem Red Locust criada em 2017 é uma homenagem ao herói sul americano, seu nome significa literalmente "gafanhoto vermelho".


Até mesmo a série japonesa One Punch Men parece ter feito uma homenagem a Chapolin. Se você prestar atenção vai ver que a roupa do herói Smile Men é praticamente igual a do Chapolin Colorado


E na animação Vida de Inseto da Disney/Pixar quando os insetos estão apresentando uma peça de teatro, uma formiga cita uma famosa frase do Chapolin: “Oh, e agora quem poderá nos defender?” aos 1:06 do vídeo. 
Claro que isso só acontece na versão dublada do filme.

Embora Chapolin não seja tão famoso nos E.U.A quanto ele é na America Latina. o personagem recebeu sim adaptações americanas, mas lá o seu nome é Captain Hopper, o nome foi usado para explicar o CH em seu peito.

El Chapulín Colorado foi um dos primeiros programas mexicanos exportados para o resto do mundo, foi ele quem abriu as portas para outros programas locais, como as famosas telenovelas mexicanas. 
O herói, ao lado de Chaves, foi exibido em mais de 100 países e traduzido para mais de 50 idiomas.

A série foi responsável por introduzir muita gente a famosa Água da Jamaica, que é uma espécie de refresco, de cor avermelhada escura ou roxa, mais conhecida no mundo como chá de hibisco. É consumida principalmente em países latinos. 
Produzida com flores de Hibiscus sabdariffa, popularmente conhecido como hibisco, a bebida pode ser servida fria, quando é chamada de Água de Jamaica, ou pode ser servida quente, conhecida como Chá de Hibisco. 
A Água da Jamaica era utilizada como forma de se afastar maus-olhados e insetos indesejados como baratas, mosquitos e pernilongos. 
Antigamente muitas tribos acreditavam que o chá trazia a imortalidade para quem bebesse e então eram feitos muitos rituais com base nessa crença. 

Hoje em dia pode não parecer, mas na época Chapolin era considerado uma grande inovação tecnológica. 
Fazer o personagem voar, encolher e crescer com o uso de chroma key era algo novo, principalmente porque o programa era de baixo orçamento e efeitos especiais eram associados a filmes hollywoodianos que custavam milhões.

No total acredita-se que a série tenha 250 episódios, pelo menos 40 deles foram perdidos mundialmente devido a problemas com as fitas originais que estragaram devido a idade.


Chespirito nunca foi do tipo que faltava ao trabalho devido a problemas de saúde. Se você prestar atenção em alguns episódios o Chapolin aparece com um gesso embaixo da roupa, em outros ainda é possível ver claramente o gesso em sua mão.

Mas tudo que é bom tem de chegar ao fim, Bolaños decidiu terminar com Chapolin em 1979 após se machucar de verdade em uma cena em que atrapalhava uma construção. O ator cortou o supercílio ao tropeçar em uma parte do cenário. 
Nos episódios seguintes ele usou um tapa-olho "igual ao de um pirata" para esconder os pontos no rosto. O comediante, na época com 50 anos, achou arriscado continuar interpretando o super-herói e decidiu encerrar o programa. 
Semanas após o acidente, Bolaños gravou o episódio de despedida de Chapolin, em que relembra momentos da série com os atores interpretando eles mesmos. No final, Bolaños, vestido de Chapolin, agradeceu à equipe técnica e todo o elenco, inclusive Carlos Villagrán e Ramón Valdés, que já tinham deixado o programa. 
Apesar de ter anunciado o fim do personagem, Bolaños voltou a gravar em 1980, dentro do programa "Chespirito", até 1992.

Se você gostou da matéria venha conhecer o nosso facebook em Real World Fatos

Nenhum comentário:

Postar um comentário