sábado, 16 de fevereiro de 2019

Conheça alguns lugares proibidos que você nunca vai poder ir

O mundo preza a liberdade (pelo menos é o que todo mundo acha) mesmo assim existes vários lugares no mundo que são proibidos, você não pode ir lá de jeito nenhum, seja porque eles pertencem ao governo ou simplesmente por serem muito perigosos para humanos visitarem.
Como você nunca vai chegar perto desses locais não custa nada ler um pouco sobre eles, confira agora alguns lugares proibidos que você nunca vai poder ir.

Vamos começar com a área proibida mais famosa de todas: a Área 51, lar dos aliens e projetos secretos do governo americano, ou pelo menos é o que todo mundo pensa.
A Área 51 é uma instalação militar dos EUA localizada a 160 km ao norte de Las Vegas. É considerado um dos lugares mais misteriosos do mundo desde que o governo dos EUA negou sua existência, algo que eles fizeram repetidamente até o ano de 2013. 
Agora o lugar é conhecido principalmente por suas muitas teorias de conspiração sobre OVNI's e armas secretas, mas a realidade nunca é tão divertida quanto a imaginação das pessoas. 
A área, que na verdade se chama Homey Airport ou Groom Lake, é usada principalmente pela CIA e pela Força Aérea dos EUA como um território de teste por causa de sua localização remota, por questões de segurança pública a área é completamente proibida aos curiosos, e olha que tem muitos deles.

Localizado no distrito de Lintong, Xi'an, Shaanxi na China, o túmulo de Qin Shi Huang é um lugar "sagrado" para os locais onde a entrada é completamente proibida. 
Mesmo tendo sido descoberta quando as esculturas do exército de terracota foi desenterrado em 1974, o túmulo em si ainda não foi escavado. Os que são contra a escavação acreditam que a tecnologia atual não pode preservar nada que exista dentro da tumba, portanto o acesso a ela é estritamente proibido.
Mas quem foi Qin Shi Huang? Ele foi rei do Estado Chinês de Qin de 247 a.C. a 221 a.C., e posteriormente tornou-se o primeiro imperador de uma China unificada de 221 a.C. a 210 a.C., reinando sob a alcunha de "Primeiro Imperador"... ele pode até ter sido um bom conquistador, mas não era muito imaginativo com títulos.

A North Sentinel Island é o lar dos Sentinelese, uma das poucas tribos indígenas do mundo que não tem contato com a civilização moderna. Acredita-se que a tribo sobrevive caçando, pescando e coletando plantas silvestres, mas não há sinais de agricultura e nem do uso de fogo. 
A primeira expedição bem sucedida a tribo foi em 1967, liderada por T.N. Pandit. Apesar disso até hoje a tribo se recusa a ter qualquer contato com o mundo moderno, pois expulsam violentamente qualquer um que tenta entrar em suas instalações, eles até tentam "matar" drones e aviões com arcos e lanças. 
Em 2006, a tribo matou dois pescadores que entraram acidentalmente em seu território, mas nenhuma tentativa foi feita pelo governo indiano para processar os assassinatos. Agora, é estritamente proibido entrar no local porque a entrada pode resultar em morte.

Localizado na antiga cidade de Hierápolis (Turquia),  esse lugar já foi um local dedicado ao deus romano da morte Plutão. O historiador antigo Strabo visitou o local e disse que “Qualquer animal que passa por dentro encontra morte instantânea. Eu joguei pardais e eles imediatamente deram seu último suspiro e caíram”. 
Parecia coisa de lendas e pura superstição, mas por incrível que pareça não era, após a "redescoberta" do local em 1965, os perigos do Portão de Plutão se mostraram muito reais. Os cientistas mediram a concentração de CO2 e descobriram que, enquanto durante o dia o sol dissipa o gás, à noite, quando a temperatura cai e o CO2 se torna mais pesado que o ar, ele se forma no fundo do local formando um “lago” mortal de gás invisível. 
Ao amanhecer, o CO2 chega a 40 centímetros acima do chão da arena em uma concentração que chega a 35%, o que é suficiente para matar animais e até pessoas em questão de minutos. 
Felizmente, a concentração cai significativamente com a altura, portanto ficar de pé junto aos "portões" só representaria uma ameaça para os animais menores, como os pobres pardais e animais que os sacerdotes vendiam aos turistas para eles se divertirem vendo o quão mortal o lugar era.

Surtsey é um pedaço gigante de terra que se formou em 1963, após uma enorme erupção vulcânica que durou incríveis 3 anos. Agora, o lugar é usado apenas para pesquisa científica. 
O foco principal do trabalho acadêmico é entender melhor como um ecossistema se forma sem qualquer impacto humano. Há apenas um par de cientistas que são permitidos nas instalações da ilha, tornando-se um dos poucos lugares proibidos na Terra por motivos estritamente científicos. 
Uma das principais regras da ilha é não trazer nenhuma semente de fora, bem, alguém não prestou atenção suficiente a essa regra e fez cocô na ilha. Depois disso, uma planta de tomate brotou na ilha deixando os cientistas verdadeiramente mistificados. Depois que eles perceberam a origem da planta, ela foi imediatamente destruída, pois perturbaria a pesquisa deles.

O Brasil também é proibido por motivos de segurança, e olha que nem estamos falando do Rio. A Ilha da Queimada Grande está localizada na costa do Brasil no Oceano Atlântico. É a única casa da criticamente ameaçada víbora venenosa dourada, a lancehead pit viper. 
Mas a ilha é fechada ao público para proteger os visitantes das cobras tanto quanto proteger as cobras dos visitantes, já que, segundo algumas estimativas, há cinco cobras a cada metro quadrado no interior da ilha. Além da grande quantidade de serpentes, a espécie em maior número na ilha é a Jararaca-Ilhoa, sendo que seu gênero é o responsável por 90% dos ataques de cobra no Brasil. Estima-se que existam cerca de 4.000 Jararacas-Ilhoa na Ilha.
Mas as cobras não são o único problema da ilha, nesse lugar não existe fonte de água potável, a temperatura é muito alta, e o desembarque é muito complicado, pois sua costa é repleta de penhascos e rochedos. Tudo isso levou o site Listverse a eleger essa ilha em 2010 como o lugar mais perigoso do mundo para se visitar.
Nos poucos casos onde alguém vai visitar a ilha ela precisa da cooperação da Marinha do Brasil. Além disso é exigido que um médico esteja presente em qualquer visita legal, para o caso de algum ataque acontecer. Mas quem é que visita o lugar? A própria Marinha Brasileira faz uma visita anual na ilha para a manutenção do farol, que desde a década de 1920 foi automatizado.
A ilha também é um laboratório importante para biólogos e pesquisadores, que recebem permissão especial para visitá-la a fim de estudar as jararacas.

Um dos mais conhecidos lugares misteriosos e assustadores de todo o mundo são as Catacumbas de Paris. O que foi construído inicialmente como uma rede de túneis para consolidar as minas de pedra de Paris tornou-se um depósito para 6 milhões de cadáveres no final do século XVIII. 
Mesmo que uma pequena parte desses túneis seja aberta ao público, onde você pode ver milhares de ossos e crânios empilhados juntos, 99% do labirinto de 170 milhas (273 Km) de comprimento é completamente proibido, porque se perder lá é quase uma garantia. 
No entanto, o risco de morte não impede que alguns corajosos (ou seriam idiotas?) entrem nesses lugares e causem problemas para a Força Especial da Polícia Catacomb, os Cataflics.

Poveglia é uma ilha conhecida como um dos lugares mais assustadores do mundo. Tudo começou durante o Império Romano, quando a ilha foi usada para abrigar vítimas da peste. Mais tarde, durante a era medieval, quando a peste voltou, a ilha tornou-se novamente a casa de milhares de pessoas doentes. Uma quantidade terrível de pessoas foi jogada no chão, enterrada nas mesmas sepulturas e até queimadas. 
As pessoas dizem que a terra ficou tão afetada pelos cadáveres humanos apodrecidos e queimados, que seu solo é agora 50% composto de cinzas humanas. Então, em 1922, eles abriram um hospital psiquiátrico aqui, sim, parece uma péssima ideia mas eles fizeram mesmo assim. 
É seguro dizer que isso não afetou os pacientes de forma positiva, já que a ilha já tinha uma vibe verdadeiramente assustadora. Agora, você ainda pode encontrar ossos humanos na costa da ilha devido à quantidade horrível de pessoas que morreram lá. Com muitas pessoas dizendo que este lugar é assombrado, não é de se admirar que esta ilha seja ilegal para visitantes.

Esse todo mundo conhece, e também deve saber porque ela é proibida, estamos falando de Chernobyl, 1986 foi o ano do trágico acidente nuclear agora conhecido como o "desastre de Chernobyl"... assim como o Imperador Chinês eles não tem muita imaginação não é?
Devido aos altos níveis de radiação, todos os moradores foram ordenados a deixar imediatamente as instalações e o território rapidamente foi abandonado. Agora, você ainda pode encontrar sapatos abandonados, brinquedos, carros e outros bens deixados para trás por causa da rápida evacuação.
Mesmo que haja excursões que permitem que você visite algumas partes da cidade, há uma zona de 19 milhas (30 Km), também conhecida como Zona de Exclusão de Chernobyl ou A Zona que é estritamente proibido para qualquer um, pois ficar alí resultará em contaminação radioativa que com certeza ira te matar.

Nas profundezas do Círculo Ártico, na ilha norueguesa de Spitsbergen, está o cofre Global Seed escondido no fundo de uma montanha. Às vezes ele é chamado de "The Doomsday Vault", (O Cofre do Apocalipse) porque mesmo no pior cenário de um desastre para a humanidade, ele preservaria a diversidade das culturas alimentares do mundo e restauraria o reino vegetal. 
O local foi construído para durar cerca de 200 anos e resistir a terremotos e explosões. Foi colocado no lado de uma montanha, por isso mesmo que todo o gelo da Terra derreta ele ainda estará acima do nível do mar. O cofre contém 100 milhões de sementes, um "backup" completo das sementes da cultura da Terra. 
A política global não importa aqui, até mesmo a Coreia do Norte congelou suas sementes lá. A primeira retirada do cofre foi feita recentemente pela Síria, a fim de recriar um Centro Internacional de Pesquisa em Aleppo, que foi destruído na guerra.
Devido as precauções de segurança severas o local não é aberto a turistas, apenas quem trabalha lá pode entrar.

O Lascaux Caves é um complexo de cavernas perto da aldeia de Montignac na França. Os tetos e paredes desta caverna são cobertos com pinturas rupestres, representando animais de grande porte. 
Acredita-se que a idade das pinturas é estimada em cerca de 17.000 anos. Em 1940, as cavernas foram descobertas por Marcel Ravidat, de apenas 18 anos, deixando muitas pessoas interessadas em sua origem e significado. Os antropólogos acreditam que essas pinturas podem simbolizar o sucesso da caça passada ou um ritual místico para melhorar a caça no futuro. 
Abrir as cavernas durante a Segunda Guerra Mundial foi um grande erro. Os 1.200 visitantes por dia, mudanças na circulação de ar e a presença de luz causaram danos irrepreensíveis às pinturas, resultando no fechamento dessas cavernas em 1963, ela não é perigosa para humanos, mas os humanos são perigosos para o seu valor histórico.

Bohemian Grove é um "acampamento" localizado na Bohemian Avenue, em Monte Rio, Califórnia. Todos os anos cerca de 2.500 homens de elite participam deste evento, que começou em 1872. O evento convida apenas as figuras mais importantes do mundo, como políticos de alto escalão, ganhadores do Nobel, vários oficiais militares e também os presidentes de elite e formados das universidades como Harvard ou Yale. 
Diz-se que durante o evento, o Bohemian Club realiza peças e rituais como parte da tradição. O lema do clube é "Weaving Spiders Come Not Here" que em nossa língua fica "As aranhas tecendo não vêm aqui", o que implica que as preocupações externas não devem ser discutidas durante o evento. 
Até hoje, o evento é estritamente masculino, pois as mulheres só podem trabalhar como funcionárias. O jornalista Jon Ronson descreveu o clube como simplesmente imaturo: “Minha impressão duradoura era de uma sensação de imaturidade que tudo permeia: os imitadores de Elvis, os rituais assustadores pseudo-pagãos, a bebida pesada. Essas pessoas podem ter atingido o ápice de suas profissões, mas emocionalmente pareciam presas em seus anos de faculdade ”.
A não ser que você seja muito bem sucedido, você nunca vai colocar os pés aqui.

Niihau é uma ilha situada no Havaí que é frequentemente chamada de "Ilha Proibida". Em 1864, foi comprada por Elizabeth Sinclair e é propriedade privada desde então. Seu nome foi dado em 1952, quando, durante a epidemia de poliomielite nas ilhas havaianas, foi proibido a saída e entrada na ilha para evitar a doença. Por sorte, ninguém na ilha ficou doente. 
Agora, com uma população de 170 pessoas, esta ilha continua sendo um dos destinos de viagem mais cobiçados do mundo, mas poucos recebem permissão para visitá-la. As pessoas dizem que mesmo a realeza ou pessoas extremamente ricas precisam solicitar entrada. Por exemplo, a lenda da música Mick Jagger teve uma vez negada a autorização para pousar seus helicópteros nas instalações da ilha.

O Grande Santuário de Ise é um lugar sagrado onde eles honram Amaterasu, uma deusa do Sol e do universo da religião xintoísta. 
O templo é construído sem o uso de pregos, eles simplesmente juntaram e montaram a madeira. A parte mais interessante é que o templo é reconstruído a cada 20 anos, honrando o conceito xintoísta de morte e renascimento. É também uma maneira de continuar a longa e contínua tradição de construir o templo apenas interligando as juntas. 
Apesar da beleza e da santidade do templo, somente os sacerdotes e os representantes da família imperial podem entrar no território. Então, a única chance de ter um vislumbre desse lugar incrivelmente sagrado é através de cercas de madeira, e você não pode tirar fotos também.

Morgan Island, localizada ao norte de Beaufort, na Carolina do Sul, também é conhecida como Monkey Island, ou Ilha dos Macacos. Ele recebeu o apelido devido a colônia de cerca de 4.000 macacos rhesus que vivem lá. 
No entanto, a população não é nativa do local como muitos pensam, os macacos foram realocados lá de La Parguera, Porto Rico. 
Como macacos infectados com o vírus herpes B começaram a escapar de La Parguera a Carolina do Sul se ofereceu para realocar a colônia para sua Ilha Morgan, que na época era inabitada. 
Atualmente, a lei proíbe qualquer pessoa de visitar a ilha para a sua própria segurança (bem como a dos macacos). As únicas pessoas permitidas na ilha são os pesquisadores que trabalham para o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas (NIAID), que são tecnicamente os donos dos macacos que vivem lá.

North Brother Island é um pedaço de terra de 13 acres localizado no East River, a poucos quilômetros de Manhattan, Nova York. É um lugar onde mais de 1.000 pessoas morreram depois que um navio cheio de passageiros afundou nas águas da ilha. 
Mais tarde, foi uma casa ribeirinha onde eles trataram doenças contagiosas. A moradora mais notória era Mary Mallon, mais conhecida como "Tifoide Mary". 
Mary foi a primeira pessoa documentada nos EUA a ser identificada como portadora assintomática da bactéria causadora da febre tifoide. Acredita-se que ela tenha infectado mais de 50 pessoas com a doença, 3 das quais morreram. Enquanto ela sempre negou ser portadora, ela raramente lavava as mãos enquanto fazia sobremesas e aparentemente espalhava as bactérias para qualquer um que as comesse. 
A ilha foi abandonada até a década de 1950, quando abriu um centro para tratar viciados em drogas. Agora é um santuário de pássaros para garças e outras aves limícolas. A ilha está atualmente abandonada e fora do alcance do público.

O Vaticano e a Igreja Católica não são tão "abertos aos fiéis" quanto eles tentam parecer, você sabia que eles tinham um arquivo secreto onde eles armazenam documentos relativos à Igreja Católica, e alguns deles podem ser datados do século VIII? 
Todo o arquivo é tão grande que tem 53 milhas (85 Km) de prateleiras, e a entrada é estritamente proibida para quem não é um pesquisador com uma permissão especial para acesso. O local inclui documentos como informações sobre a excomunhão de Martinho Lutero e uma carta de Michelangelo ao papa Júlio II.

Essa aqui também é famosa, em 2011, o desastre nuclear de Fukushima atingiu o Japão, e residentes a 28 km da fábrica foram obrigados a evacuar. É o segundo desastre a receber a classificação de nível 7 da International Nuclear Event Scale, ao lado de Chernobyl. 
Devido à sua extrema radiação, ninguém é autorizado a entrar nessas instalações, mas um homem era corajoso (ou idiota?) o suficiente para ir até lá, sem nenhum equipamento adequado. Keow Wee Loong, um fotógrafo malaio de 27 anos, escolheu entrar ilegalmente na zona de exclusão de Fukushima apenas para mostrar como estão as coisas por lá.

Durante o reinado de Stalin, um sistema secreto de transporte subterrâneo foi construído, ele ficou conhecido como Metro-2. Esse misterioso sistema de metrô supostamente conecta instituições administrativas como o Kremlin, o aeroporto de Vnukovo-2 e a Academia do Estado-Maior. É relatado que os túneis também incluem apartamentos e salas técnicas. 
Como o sistema não estava disponível para pessoas de fora, acredita-se que seja um túnel de escape secreto para funcionários de alto escalão durante a guerra. A administração do metrô de Moscou nega a existência desses túneis, mas em 1994 um grupo de exploração urbana afirmou ter encontrado a entrada do sistema subterrâneo. Agora, apenas uma das quatro linhas é confirmada, e essa é a linha D6. O acesso a este lugar é estritamente proibido para pessoas de fora que só podem entrar com um passe especial.

Se você gostou dessa matéria venha conhecer o nosso facebook: Real World Fatos, lá tem muito mais matérias incríveis para você ler.

Nenhum comentário:

Postar um comentário