Loading...

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

As espécies de pássaros mais raras do mundo

Animais raros é o que não falta no nosso site, nós já falamos sobre as raças de cães e gatos mais raras do mundo, e também algumas que foram extintas e infelizmente não existem mais, até sobre cavalos nós já falamos aqui. Hoje porém nós vamos mostrar os pássaros mais raros que ainda existem, mas que você provavelmente nunca vai ver ao vivo.
E se você quiser ver as raças de pássaros domésticos mais raras do mundo, clique aqui.

Vamos começar com o Ibis Gigante, um pássaro cujo bico longo e penas que mais parecem pintadas chamam a atenção de quem vê. A espécie está confinada ao norte do Camboja, com algumas aves sobrevivendo no extremo sul do Laos e no Parque Nacional Yok Đôn, no Vietnã.
Chegando aos 106 cm e 4 kg, infelizmente essa espécie está criticamente ameaçada de extinção e não tem muitas chances de recuperação. Existem menos de 200 Ibis Gigantes ainda vivos.

Aegotheles savesi é o nome complicado dessa ave, e esse é um dos pássaros mais misteriosos do mundo, quase nada deles foi revelado desde a sua descoberta, nem mesmo o seu canto é conhecido pelo homem. Também chamado de Corujinha Noturno da Nova Caledônia esse pássaro vive na savana Melaleuca da Nova Caledônia e nas florestas úmidas. 
Outros membros de seu gênero são altamente territoriais e se aninham em buracos nas árvores, essas aves também se alimentam sentando em um galho e atacando pequenos animais, mas não se sabe se esses hábitos se aplicam ao corujinha noturno também, como essa espécie é maior e tem pernas mais longas do que as outras, pode ser que ele seja mais terrestre. 
O primeiro espécime dessa ave foi coletado por puro acidente, um pássaro voou para dentro de um quarto na aldeia de Tonghoué. Este pássaro é conhecido a partir de dois exemplares recolhidos em 1880 e 1915 e um par de avistamentos, o mais recente deles foi na expedição de 1998, que viu um grande número deles procurando insetos ao entardecer. Esse relatório sugere que a espécie ainda sobrevive em pequeno número, mas que a população total é provavelmente menor que 50 indivíduos e está em declínio.

O Condor da Califórnia, como seu nome indica é nativo da América do Norte, sendo atualmente encontrado somente na região do Grand Canyon e das montanhas do oeste da Califórnia, nos Estados Unidos, e ao norte da Baixa Califórnia, no México. 
Essa ave gigante possui a maior envergadura dentre todas as aves da América do Norte, chegando a 3 metros, e está entre as mais pesadas do continente, variando de 8 a 14 kg. É detritívora, alimentando-se de grandes quantidades de carniça. Ainda é uma das aves que mais vive no mundo, podendo ultrapassar os 50 anos facilmente.

O único papagaio do mundo que não voa, esse é o Kakapo, uma espécie noturna da Nova Zelândia, o seu nome significa papagaio da noite em maori. Infelizmente o kakapo é uma ave em perigo crítico de extinção, em 2013 a população contava com apenas 124 aves, mas em 2017, houve um ligeiro aumento para 154 espécimes.
Essa ave é um papagaio de constituição robusta de até 60 cm de comprimento e 3 a 4 quilos, as asas são atrofiadas e pequenas, elas servem apenas como balanço na hora de andar. Os kakapos tem ainda penas especializadas na zona do bico, que servem como "bigodes sensoriais" e lhes permitem um melhor reconhecimento do ambiente durante a noite, quando eles são mais ativos. Como complemento, estas aves têm um sentido de olfato muito apurado.
Mas provavelmente o fato mais curioso sobre eles é o seu cheiro, que foi descrito como uma mistura de flores e mel. Apesar de agradável ao nariz humano, este odor provou ser uma enorme desvantagem para a espécie com a introdução dos primeiros predadores, que aprenderam a reconhecer o cheiro do kakapo de longe.

Esse topetudo é o Kagu, ele é nativo da Ilha de Grande Terre, no arquipélago da Nova Caledônia sendo sua ave nacional e adotada como emblema oficial. A ave normalmente habita densas florestas de montanha entre os 100 a 1.400 metros de altitude.
Foi classificada em 1860 e está listada pela União Internacional para a Conservação da Natureza como uma espécie em perigo, sendo muito abundante no passado a espécie quase foi extinta no século XIX por suas penas de crista, apreciadas pelos criadores de chapéus femininos, além de ter seu habitat ameaçado por espécies invasoras.
Com uma variedade de notas descritas como "ásperas e estridentes", os sons feitos pelo Kagu podem ser ouvidos a mais de um quilômetro de distância e são diferentes para os machos e fêmeas, podendo lembrar tanto o canto de um galo quanto o latido de um cão.

O Sisão Bengalês tem menos de 1000 exemplares vivos, ele na verdade tem duas populações que vivem separadas, uma no subcontinente indiano, outra no sudeste asiático. 
Os adultos tem em média de 66 a 68 cm de comprimento e ficam em torno de 55 cm de altura. As fêmeas costumam ser maiores que o macho.

A Corujinha da Floresta parece fofa, mas suas garras dizem o contrário, nativa da Índia a espécie foi descrita pela primeira vez em 1873, mas não foi vista depois de 1884 e foi considerada extinta, até que foi redescoberta 113 anos depois, em 1997.
Com apenas 23 cm essa corujinha não tem medo de caçar ratos, lagartos e até outras aves, algumas delas até mesmo demonstraram comportamento canibal.

A Águia Filipina ficou conhecida por seu "cabelo" despenteado, existem apenas 500 delas ainda vivas na natureza. Ela é conhecida pelos locais como águia-pega-macaco, já que sua alimentação contem macacos e lêmures, entre outros animais de grande porte. 
A espécie tem entre 86 a 102 cm de comprimento total, e um peso de 8 kg em média.


A ararinha-azul é uma espécie brasileira, e é uma das mais ameaçadas do mundo. Ela mede cerca de 57 centímetros de comprimento e possui uma plumagem azul. Pouco se conhece sobre seu comportamento na natureza, mas sua dieta consistia principalmente de sementes de pinhão-bravo e faveleira. 
A espécie foi descoberta em 1817 e achava-se que ela tinha sido extinta em 2000. Atualmente há 85 ararinhas em cativeiro, algumas dos quais participam de um programa internacional de reprodução. Além dos humanos outro motivo para seu declínio são as abelhas que competem com essas aves por espaço.


Esse é o Pica Flores de Cebu, ele tem esse nome por ser nativo da Ilha de Cebu nas Filipinas. Temia-se que essa ave tivesse sida extinta no início do século XX após o desaparecimento da maioria das florestas da ilha, mas ela foi redescoberta em 1992 em um pequeno trecho de floresta A população atual é estimada entre 85 e 105 pássaros e cada pássaro tem em média 12 cm.


O Corvo-do-Havaí ou Alala tem cerca de 50 centímetros de comprimento e ele é na verdade considerado por muitos nativos como um ser divino, mesmo assim os dois últimos indivíduos selvagens desta espécie desapareceram em 2002 e a ave é agora classificada como extinta na natureza pela Lista Vermelha da IUCN. Cerca de 78 indivíduos permanecem em instalações de reprodução em cativeiro operadas pelo San Diego Zoo.
Em 16 de abril de 2009, o US Fish e Wildlife Service anunciou um plano de cinco anos para gastar mais de US$ 14 milhões para evitar a extinção do corvo havaiano através de proteção dos habitats e gestão de ameaças à espécie.


O Perna de Pau Preta, ou kakī, é encontrada apenas na Nova Zelândia e é uma das mais raras aves caminhantes do mundo, com apenas 132 adultos sobrevivendo na natureza, isso tudo mesmo com mais de 20 anos de tentativas de proteção a espécie.
Mesmo com suas pernonas essa ave pesa apenas 220 gramas, elas costumam viver perto de rios e áreas mais alagadas, suas longas pernas permitem a ela andar na água sem molhar seu corpo.


A pomba-rosada está em risco de extinção, mas as coisas poderiam ser piores, ela na verdade é o único pombo das Ilhas Mascarenhas que não foi extinto completamente.
Ele estava à beira da extinção em 1991, quando existiam apenas 10 indivíduos ao todo, mas seus números aumentaram devido aos esforços da Durrell Wildlife Conservation Trust desde 1977. 
Um adulto mede cerca de 32 centímetros do bico à cauda e pesa 350 gramas. Pombos-rosados têm a plumagem rosa pálido na cabeça, ombros e ventre, junto com pés e bico rosas.


O Palila do Havaí tem menos de 20 cm, mas suas cores vibrantes chamam a atenção de quem vê, ele foi descoberto em 1877 e desde então seus números vem caindo consideravelmente. Essas aves podem viver a até 2,900 metros acima do nível do mar.


O Merganso Chinês é um tipo de pato aquático que vive na Ásia, ele está em extinção lá, mas aparentemente está conseguindo se reproduzir em território russo.
As aves não são muito sociais durante o período de reprodução e se reúnem em pequenos grupos no outono e inverno, mas mesmo no inverno, grupos de mais de uma dúzia são muito raros.


A Abetarda Indiana é uma ave onívora que vive apenas na Índia, no total existem menos de 250 indivíduos vivos. Ele pode chegar a até 1 metro de altura, as fêmeas porém são um pouco menores.


O Periquito-de-ventre-laranja é um arco iris em forma de ave, nativo da Austrália ele é um pequeno papagaio com cerca de 20 cm de comprimento que exibe dimorfismo sexual. O macho adulto distingue-se pelas suas partes verde-relvas brilhantes, amarelas e laranja. A fêmea por outro lado é verde. 
Existem apenas 16 deles na natureza, 13 machos e 3 fêmeas, mas existem cerca de 300 em cativeiro.


E por último nós temos a Ave do Paraíso que fica desse jeito quando quer cortejar a fêmea. Pouco se sabe dessa espécie, mas ela não tem muitos exemplares vivos principalmente devido a perda de habitat e caça.

Real World Fatos também está no facebook, venha deixar a sua curtida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...