Loading...

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Conheça a história de alguns inocentes que foram para a cadeia

Não dá pra saber ao certo quantos inocentes estão presos, mas os poucos estudos que têm sido feitos estima de que entre 2,3% e 5% de todos os presos dos EUA são inocentes (por contexto, se apenas 1% de todos os presos são inocentes, isso significaria que mais de 20.000 pessoas inocentes estão na prisão). Alguns desses inocentes chegam até mesmo a serem executados pelo estado.
Se a pessoa consegue provar sua inocência depois de ter sido presa, ela tem direito a uma remuneração paga pelo governo, essa remuneração vária de lugar pra lugar, mas pode chegar a até U$80.000 por 5 anos de cadeia. A organização "The Innocence Project"se especializou nesse tipo de caso e já conseguiu salvar 329 pessoas injustamente condenadas, incluindo 18 que estavam no corredor da morte. Conheça agora alguns dos casos mais famosos de inocentes presos injustamente.


Nome: Cameron Todd Willingham
Acusado de: Incêndio criminoso e assassinato de suas três filhas
Sentença: Pena de morte
Resultado: Foi executado em 2004. Em 2009 o caso foi reaberto e considerado insustentável por 4 dos 9 membros da Comissão de Ciência Forense. Isso não seria suficiente para provar que Todd era completamente inocente, mas seria o suficiente para um novo julgamento.



Nome: Ellis Wayne Felker
Acusado de: assassinar e estuprar Evelyn Joy Ludlum.
Sentença: Pena de morte
Resultado: Foi executado em 1996. Em 2000 o caso foi reaberto. Relatórios de autópsia anteriores descobriram que Ludlum morreu cinco dias antes do seu corpo ser descoberto, o que excluiu Felker como suspeito já que ele estava sob vigilância na época. Em vez de admitir que ele não poderia tê-la matado, a polícia mandou outro técnico, que ainda estava em período de aprendizagem, refazer o relatório, ele escreveu que a morte se deu três dias antes da descoberta. Os advogados de Felker também descobriram evidências retidas durante o julgamento, que incluía amostras de DNA e uma confissão assinada por outro homem (embora o homem era retardado mental). Essas evidencias eram o suficiente para o caso ser considerado insustentável.


Nome: Colin Campbell Ross
Acusado de: Estuprar e matar uma garota de 12 anos
Sentença: Pena de morte
Resultado: Foi executado em 1922. Apesar de várias testemunhas atestarem a inocência de Ross, declarando que ele estava em seu bar no momento do assassinato, ele foi condenado por assassinato devido à má investigação forense. Fios de cabelo foram encontrados na casa de Ross em sua cama. Os cientistas acreditavam que o cabelo na cama era da vítima, embora o diâmetro dos fios de cabelo eram diferentes. Infelizmente, a opinião pública foi fortemente a favor da culpa de Ross e eles queriam vê-lo morto. Após a sua execução, uma carta anônima foi enviada para os advogados de Ross, esta carta se acredita ser do verdadeiro assassino. Em 1998, o Dr. Bentley Atchison descobriu que o DNA na cama de Ross não era da vítima. Em 2008, Ross finalmente foi perdoado pelo assassinato, 86 anos depois de ter sido executado.


Nome: Mahmood Hussein Mattan
Acusado de: Assassinato
Sentença: Pena de morte
Resultado: Foi executado em 1952 e perdoado em 1998. Um par de sapatos sujos de sangue e o testemunho de Harold Clover, um homem jamaicano que também era suspeito do assassinato, foi tudo o que era necessário para condenar Mattan. Durante o julgamento, mostrou-se que os sapatos foram emprestados por Clover e que as várias testemunhas que viram o autor do crime não identificaram Mattan como  suspeito. Apesar disso, Mattan foi executado. Em 1998, o tribunal reabriu o casoe extinguiu o processo como comprovadamente falho. O tribunal pagou a família de Mattan 700.000 libras esterlinas, esse foi o primeiro caso de compensação para um perdão póstumo.


Nome: George Kelly
Acusado de: Assassinato
Sentença: Pena de morte
Resultado: Executado em 1950. Talvez uma das maiores investigações organizados do Reino Unido, foram investigados mais de 65.000 pessoas. Um assalto mal-sucedido em um cinema levou ao assassinato do gerente e de  um outro trabalhador. Investigações policiais levaram a lugar nenhum, até que eles receberam uma carta anônima, que dizia que o autor da carta iria entregar o suspeito em troca de imunidade. A carta apontou Charles Connolly como vigia e Kelly como o atirador. Não havia nenhuma evidência física e nem depoimentos de testemunhas. Dez anos depois, Connolly desmoronou sob a pressão e admitiu o crime e foi condenado a dez anos de prisão. Kelly insistiu em sua inocência e foi executado em 1950. Em 2003, o Tribunal de Recurso Criminal da Inglaterra anulou a condenação porque os promotores esconderam evidências de que outro homem, Daniel Johnson, tinha confessado os assassinatos meses antes.


Nome: James Bain
Acusado de: Sequestrar e estuprar de uma criança de 9 anos, e ainda roubar a casa onde ela se encontrava.
Sentença: Prisão perpétua
Resultado: Condenado em 1974 e exonerado em 2010. Depois de mais de três décadas de prisão (fazendo dele o americano que passou mais tempo na cadeia, mesmo sendo inocente), Bain foi finalmente solto após evidências recentes de DNA provaram que ele não havia cometido o crime. O menino de 9 anos, na época, havia descrito o autor como um homem com costeletas espessas e um bigode e tinha identificado Bain como o atacante. Apesar de o depoimento de sua irmã dizer que Bain tinha ficado em casa naquela noite, ele ainda foi condenado. Em 2000, a Flórida aprovou uma lei que permite que casos sejam reabertos para testes de DNA. Bain diz não estar com raiva, ele só quer passar o maior tempo possível com sua mãe, que está doente.


Nome: Raymond Towler
Acusado de: Estuprar uma criança de 11 anos, e atacar outra de 12
Sentença: Prisão perpétua
ResultadoCondenado em 1981 e exonerado em 2010. Semelhante ao caso da Bain, Towler foi libertado depois que as provas de DNA provaram que ele não era culpado. Sua prisão ocorreu 12 dias após o incidente. Ele foi inicialmente parado por uma infração de trânsito, mas a polícia viu que ele se parecia com o esboço do agressor. Apesar de ter sido preso por 29 anos, Towler não planeja processar o tribunal e nem recorrer a sua indenização de U$ 1,2 milhões. Seu primeiro desejo como um homem livre foi ir até  uma festa em uma pizzaria. Raymond Towler é um músico e artista.


Nome: Gregory Taylor
Acusado de: Assassinar uma prostituta
Sentença: Prisão perpétua
Resultado: Condenado em 1991 e perdoado em 2007. Jacquetta Thomas foi encontrada espancada até a morte em um quarto de hotel em 1991. Taylor estava apenas no lugar errado, na hora errada, e, em 2007, os tribunais da Carolina do Norte finalmente concordaram. Taylor tinha mantido a sua história que ele e seus amigos tinham viram o corpo, enquanto estavam sob o efeito de drogas e não denunciaram. Ao contrário de muitos dos casos anteriores, o caso de Taylor não envolveu DNA, mas houve uma revisão do processo do julgamento porque as testemunhas não eram confiáveis.


 Nome: Steve Kurtz
Acusado de: Bioterrorismo e fraude
Sentença: 20 anos de cadeia, depois mudaram para um ano de liberdade não supervisionada e multa de 500 dólares
Resultado: Condenado em 2004, solto em 2008. Stephen Kurtz foi preso em sua casa, enquanto trabalhava em sua mais recente bioarte. Kurtz é um dos membros fundadores da Critical Art Ensemble, uma empresa que reúne teatro, ciência e arte. Sua prisão ocorreu quando sua esposa morreu de insuficiência cardíaca e ele ligou para o 911. Os oficiais de polícia consideraram seus materiais, bactérias inofensivas geneticamente modificados e vários pratos de petri, como suspeitos e notificaram o FBI que prendeu Kurtz por bioterrorismo. Um júri desistiu da acusação de bioterrorismo, mas culparam Kurtz por fraude eletrônica. As acusações foram tidas como insuficientes e o caso foi arquivado. Kurts  lançou o documentário "Strange Culture" explicando melhor o que aconteceu. A pena de Kurtz foi leve quando comparado aos outros da lista, mas ele  é um sobrevivente do linfoma não-Hodgkin e sofreu uma série de derrames depois do seu indiciamento em 2004.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...